segunda-feira, 5 de agosto de 2013

PALMADA OU BOA CONVERSA RESOLVE?

Para pastor a palmada é boa pra educar.Cris Polli já pensa diferente Por: Robson Morais - Redação Creio O desafio de educar os filhos é para sempre. Por mais que cresçam, serão sempre crianças aos olhos dos pais. Mas até que criem asas o esforço maior é a disciplina, entende-se aí a sempre polêmica palmada. Afinal, bater educa? O pastor norte americano Michael Pearl jura que sim. Não só isso; aconselha os pais a puxarem cabelo de recém-nascido, manter arma de fogo em casa e muito mais. Tudo pelo bem da formação do futuro cidadão, garante. Cada método aconselhado pelo pastor pode ser conferido em um manual, explicado em detalhes. ‘Como educar seu filho’ já está em circulação nos Estados Unidos e pode vir para o Brasil. “Os pais podem experimentar sentimentos que os impeçam de castigar os filhos, mas isso não é o amor de Deus, que criou as crianças e sabe o que é melhor para elas, ordenando aos pais que usem o chicote”, lê-se no livro. Específico, cada punição a ser aplicada depende da travessura. “Para crianças com menos de um ano, os pais devem usar apenas uma vara de salgueiro, entre 25 a 30 centímetros de comprimento e uma polegada de diâmetro, isenta de nós, pois estes podem cortar a pele”, segue. Especialista no assunto, a pedagoga Cris Poli se tornou famosa em todo o Brasil na pele da rigorosa Super Nanny. A versão brasileira do reality ainda fez, até 2010, enorme sucesso nas telas do SBT justamente pelos conselhos firmes da babá. Ela porém garante que nenhuma palmada agrega à educação. “O grande segredo é o diálogo, embora isso seja difícil. Dialogar e chegar num acordo”. Os métodos contrários ao de Pearl também podem ser conferido no livro ‘Pais responsáveis educam juntos’, lançado na 10ª edição da EXPOCRISTÃ.

Lei da Palmada, Projeto é adiado por pressão de bancada evangélica, que não concorda

Após pressão da bancada evangélica, a Câmara dos Deputados comunicou nesta terça-feira, 13, o adiamento da votação do projeto de lei que proíbe a aplicação de palmadas ou castigos físicos em crianças e adolescentes. A chamada Lei da Palmada, que seria votada em uma comissão especial da Casa, prevê, por exemplo, que professores, médicos ou funcionários públicos que souberem ou suspeitarem de agressões ou tratamento degradante contra pessoas com menos de 18 anos, incluindo xingamentos, e não denunciarem às autoridades, poderão ser multados em até R$ 11,2 mil (20 salários mínimos). "Na educação de crianças e adolescentes, nem suaves 'palmadinhas', nem beliscões, nem xingamentos, nem qualquer forma de agressão, tenha ela a natureza e a intensidade que tiver, pode ser admitida", afirmou a relatora do projeto, Teresa Surita (PMDB-RR). De acordo com a vice-presidente da comissão especial, Lilian Sá (PSD-RJ), ao pressionarem contra o projeto, os evangélicos argumentaram que o texto, se transformado em lei, poderia "trazer danos à família", uma vez que pequenos castigos não causariam dor nem teriam consequências perversas para a vida da criança. "Eles disseram que o projeto iria mudar a vida dos pais, que a 'palmadinha pedagógica' poderia trazer danos à família", afirmou. Conforme o projeto, que deverá voltar a ser debatido nesta quarta, 14, "a criança e o adolescente têm o direito de serem educados e cuidados sem o uso de castigo corporal ou de tratamento cruel ou degradante, como formas de correção, disciplina, educação ou qualquer outro pretexto, pelos pais, pelos integrantes da família ampliada, pelos responsáveis, pelos agentes públicos executores de medidas socioeducativas ou por qualquer pessoa encarregada de cuidar, tratar, educar ou proteger". "Existe uma razão primeira para proibir e eliminar o uso da força física como forma de educação de crianças e adolescentes: é o reconhecimento de seus direitos humanos", disse Surita, em seu relatório. Para a presidente da comissão especial, Erika Kokay (PT-DF), o projeto que deveria ser votado nesta terça tem caráter "pedagógico", e não punitivo, contra a família. "A percepção (de se o castigo é violência ou não) não pode ser do adulto porque a criança perde o espaço da fala. Quem dá uma palmada de quando em quando pode deixar de dar", afirmou.

Crianças ‘viciadas’ em TV têm mais probabilidade de cometer crimes

Estudo conclui que existe forte correlação entre exposição excessiva de crianças à televisão e comportamentos anti-sociais de jovens adultos Publicado por AFP [via UOL] Uma pesquisa realizada na Nova Zelância aponta que crianças que assistem televisão em excesso são mais sujeitas do que outras a cometer crimes ou ter atitudes agressivas quando adultas. A Universidade de Otago acompanhou mais de mil adolescentes nascidos no início da década de 1970 desde os quinze anos de idade até os 26 para avaliar os potenciais impactos da televisão nos seus comportamentos. O estudo, publicado nesta semana na revista americana “Pediatrics”, conclui que existe uma forte correlação entre a exposição excessiva de crianças à televisão e comportamentos anti-sociais de jovens adultos. “O risco de ter um jovem adulto ter antecedentes criminais aumenta em 30% para cada hora que em assistiu televisão em média durante a semana quando criança”, disse Bob Hancox, co-autor da pesquisa. A pesquisa também apontou que o fato de assistir televisão em excesso está ligado a comportamentos agressivos a à tendência de sentir mais emoções negativas. Estas ligações são ainda mais significantes em termos de estatísticas quando são levados em conta fatores com a inteligência, a condição social e a educação dada pelos pais. “Ao mesmo tempo que não podemos dizer que a televisão leva diretamente a comportamentos antisociais, os resultados da nossa pesquisa sugerem que o fato de passar menos tempo assistindo televisão pode reduzir os comportamentos antisociais na sociedade”, analisou Hancox. Ele ainda disse que concordava com as recomendações Academia Americana de Pediatria, segundo a qual crianças não deveriam assistir a mais de uma ou duas horas de programas de televisão por dia. O estudo também aponta que é possível que crianças tenham desenvolvido comportamentos antisociais ao imitar o que viram na televisão. No entanto, os conteúdos assistidos não seriam o único fator que levaria a estes comportamentos. O isolamento social vivido por pessoas que ficam horas diante da TV também seria um agravante. “É possível que o fato de assistir televisão em excesso leve a comportamentos antisociais mesmo se a criança não está exposta a conteúdos violentos”, disse a pesquisa. “Si ficar tempo demais na frente da televisão, a criança pode ter menos relações sociais com amigos ou parentes além de um desempenho ruim na escola e correr assim mais risco de ficar desempregado”, explicou. Hancox ainda salientou que o estudo foi baseado em hábitos de crianças no fim da década de 1970 e no início da década de 1980, antes da chegada em massa de videogames. “Se a pessoa passa horas na frente de um jogo que não apenas a expõe a cenas violentas, mas tamém estimula a matar pessoas, isso pode ser pior ainda, mas não tenho nenhum dado concreto sobre este assunto”, disse Hancox em entrevista à Radio New Zealand. Fonte: Publicado por AFP [via UOL]

TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

Olá blogueiros! Vamos tratar de um assunto que preocupa muitos pais e tira muita paz das famílias pelo mundo: a Hiperatividade. Como saber se seu filho tem TDAH? Bem, de certa forma, os pais de crianças com hiperatividade sabem no fundo que algo está errado.
A Hiperatividade Orgânica e a Emocional No caso da Hiperatividade Orgânica a criança é agitada em casa, no colégio e com os amigos. Ela é assim o tempo todo. Já a criança com hiperatividade emocional fica agitada em locais onde as coisas negativas que a atingem estão ocorrendo. Exemplo: na escola, quando há algum problema de adaptação e a criança não se sente segura ali ou em casa, diante de algum problema com os pais, brigas ou separação. A criança orgânica recebe muita rejeição dos amigos e sociedade e todo mundo reclama do seu comportamento. Ela é inexplicavelmente difícil. Troca letras na escrita e na fala, mas ao mesmo tempo é extremamente inteligente. Isso acontece porque a criança quer escrever ou falar logo, por isso comete esses erros. Não consegue controlar algo que faz parte de seu organismo, por isso sofre muito com sentimentos de culpa. Ela precisa de ajuda para conseguir lidar com a situação. Crianças assim geralmente têm pavio curto: agem de forma agressiva que é seguida por sentimentos de culpa. No fundo, ela é uma ótima pessoinha, mas tomam atitudes intempestivas. Isso acontece porque as crianças orgânicas possuem uma alteração química no nível de dopamina, de serotonina e norepinefrina. São substâncias, ou seja, neurotransmissores cerebrais que mandam mensagens de uma célula nervosa para outra. A serotonina é uma substância sedativa e calmante. É também conhecida como a substância “mágica” que melhora o humor de um modo geral, principalmente em pessoas com depressão. Já, a dopamina e a noradrenalina proporcionam energia e disposição. Elas têm deficiência dessas substâncias químicas. Muitas vezes em algumas regiões do cérebro. Pode ser ainda um problema relacionado a tireóide, intoxicação por chumbo e outros. É preciso buscar o tratamento adequado. Colocar a criança em esportes para descarregar essa energia toda é legal, mas não vai adiantar se não houver um tratamento adequado. O esporte por si só não vai resolver. É preciso que a criança faça um tratamento junto a um psicólogo ou neurologista, juntamente com muita oração. Afinal, Deus pode todas as coisas.
O conselho é levar a criança a um profissional (psicólogo, neurologista ou pediatra). Ele provavelmente vai pedir alguns exames (se for um bom médico) e passar uma medicação para ajudar nesse desvio químico cerebral. Lembre-se: seu filho não consegue controlar isso sozinho. Geralmente as crianças com TDAH gostam de jogos e brinquedos que desafiam a sua capacidade, como quebra cabeças ou jogos de montar e decifrar enigmas. Um esporte muito legal é o judô, pois ele ensina disciplina e ajuda a dar vazão a essa energia exagerada. Sempre com acompanhamento médico. Dica de site sobre o assunto: Instituto Paulista de Déficit de Atenção É importante que, mesmo com TDAH a criança tenha limites. Crie regras para serem seguidas. A criança precisa saber respeitar leis desde pequena. Seja firme e seguro nessas regras, sem ser autoritário.

Conheça os Seus Alunos

A CRIANÇA ESTRESSADA "Série: Criando uma mente saudável” Criança não nasce estressada, ou agitada, ou malcriada, ela aprende tudo isso, com seus tutores, sejam eles pais biológicos ou secundários, que são seus primeiros e mais importantes educadores, seus primeiros instrutores. Imagine que, na fase mais importante de suas vidas, que são seus primeiros anos de condicionamento mental, quando tomam conhecimento das principais fraquezas ou virtudes dos outros, quando através da identificação, da imitação, irão ou não adotar para si tais comportamentos, na maioria das vezes, as deixamos aos cuidados de qualquer um.
E estes primeiros instrutores, que até podem ser seus pais, ou computadores, ou televisores, colocarão dentro da mente de cada uma dessas crianças, suas manias, fraquezas, suas preferências, conflitos, e talvez, virtudes. E tudo isso servirá de base, lastro para a construção de suas personalidades, seu modo peculiar de ver e viver o mundo.
Seus desejos, a raiz da maioria das frustrações humanas, também serão plantados nesse período. Ao se identificar com um personagem, que pode ser uma babá, um ídolo da moda, um educador, e tantos outros, a criança também se identifica com tudo que esteja relacionado com aquela pessoa. Isso inclui suas opiniões, seus gostos pessoais, suas crenças, seus ideais e assim por diante.Se como adultos, já experientes, ainda julgamos os indivíduos pelas aparências, qual a reação que devemos esperar de crianças inocentes? A lógica é simples, elas se identificam com alguma coisa, porque nessa coisa, que podem ser objetos ou pessoas, buscam segurança psicológica, a sensação de que estão protegidas. Uma criança nasce livre. Livre de crenças, de obrigações, sejam tarefas simples ou complexas. Não há vontade em suas pequenas mentes, estas, as suas vontades, nós lhes ensinaremos. Nos as ensinaremos a falar, a desejar, a preferir, a ficarem frustradas quando não conseguem obter aquilo que dizemos ser coisas importantes para elas. A importância das coisas, assim como suas reações diante de fracassos e sucessos, isso também lhes ensinamos. O mundo não ensina a ninguém. O mundo não tem língua, nem é capaz de falar, muito menos de cuidar de uma criança. Isso é nosso papel, dos adultos, sejam pais, educadores ou qualquer outro. Como adultos, ensinamos a estas crianças como funciona nosso mundo, que logo será o mundo delas, que no futuro o será dos filhos destas, num ciclo infinito, aparentemente incapaz de ser contido, ou modificado. Uma criança não nasce com raiva de alguma coisa, ou de alguém. Se como animal ela possui instintivamente, em si, a semente da violência, o modo como irá empregar essa violência em seus relacionamentos, este, fica por conta dos instrutores do mundo, ou seja, nós. Violência faz parte do instinto animal, serve como alicerce para a autopreservação. Faz parte do nosso medo primário, que é prudência diante dos perigos conhecidos. Diante de um abismo, sabemos das conseqüências de uma queda, isso não é medo, é prudência, é inteligência. Ao cairmos desse mesmo abismo, segurar em suas bordas com todas as nossas forças, isso é colocar para fora todo nosso instinto animal de sobrevivência, e estaremos dispostos a tudo para lograrmos êxito. Aqui não se pensa, apenas se age, mesmo que nossos dedos sangrem, e mesmo a dor é ignorada. Isso é violência, é o despertar da força de sobrevivência interior, ou como diziam os antigos, o despertar do instinto primário. A raiva é coisa dirigida, consciente, sabemos exatamente porque estamos com ela. É uma deformação do estado de violência primária, uma má aplicação causada pela falta de compreensão que temos desse estado natural. Ficamosinsatisfeitos com qualquer coisa, e naturalmente, logo desejamos nos livrar da causa ou causador. Assim nos foi ensinado, assim, de forma incondicional, também instruiremos aos nossos descendentes. Ensinar as crianças que o perder faz parte do seu aprendizado diante da vida, que na verdade não se perde, só o podemos fazê-lo, se nós mesmos já compreendemos bem essa coisa. Como podemos ganhar alguma coisa se ainda não sabemos o que é perder? Imagine um mundo onde todos ganham; como saberão que são vencedores se não houvessem os perdedores, aqueles que precisam perder ao menos uma vez, para então aprenderem o que significa uma vitória? Podemos ensinar isso às nossas crianças, o fato de que nada se perde, que o erro é imprescindível ao aprendizado. Como podemos ensinar o que é acerto se não tivermos um erro como referência? Decerto não podemos. Isso precisa ser compreendido, e explicado de uma forma clara, de modo que possam entender. Assim não mais temerão os erros, e cuidarão, naturalmente para que nunca se repitam. Usarão os mesmos como guias para seus acertos, sem frustrações, sem ressentimentos, sem raiva, sem ansiedades desnecessárias.Autor: Jon Talber - psicopedagogo, pesquisador e escritor de temas de auto-ajuda. O Estresse Também Pode Atingir as Crianças Tão comum em adultos, o estresse também pode atingir as crianças. O estresse é uma arma do corpo que surge em qualquer tipo de ambiente ou situação hostil e, portanto, não tem idade para se manifestar. A melhor maneira é preveni-lo desde cedo, para que o problema não fique ainda mais grave. Se o estresse no adulto tem a fonte nas relações de trabalho, no excesso de tarefas ou nas dificuldades familiares, na criança a origem da doença não é tão diferente, e concentra-se muitas vezes no ambiente escolar e familiar.A competitividade e a exigência do colégio, uma briga com os colegas, a mudança de casa, escola, cidade, as brigas dos pais, a chegada de um novo irmão são apenas alguns dos possíveis motivos apontados para o estresse infantil. Para que o estresse não atinja o rendimento da criança em suas atividades, e para que ela não fique irritada ou chorando constantemente, é fundamental que os pais identifiquem o problema e transmitam, em primeiro lugar, seu apoio afetivo. O próximo passo é procurar tratamento especializado, para que o estresse não se desenvolva em depressão. extraído de: www.sitededicas.uol.com.br www.abril.com.br/noticias/comportamento http://vilamulher.terra.com.br www.revistapontocom.org.br
Autora: Cássia Ravena Mulin de Assis Medel A sala de aula de Educação Infantil deve ser ampla e pode ser montada em um único ambiente ou em dois os três ambientes, por exemplo. Deve ser reservado um espaço para a “rodinha”, onde são realizadas atividades do cotidiano como: chamada; calendário; contação de histórias; canto de músicas e outras. A sala poderá conter os “cantinhos”: o cantinho da leitura, de matemática, das ciências, de historia e geografia, de artes, da psicomotricidade, da dramatização, por exemplo.
O cantinho da Leitura, incluindo livros de história de papel, de tecido, de plástico, e outros materiais; revistas em quadrinhos, por exemplo, e livros confeccionados pelos próprios alunos. O cantinho de Matemática, incluindo jogos relativos à disciplina, como, por exemplo: Dominós; baralho; jogo da memória; ábacos; cuisinaire; material dourado; numerais em lixa e outros que poderão ser adquiridos ou confeccionados pelo próprio professor e pelos alunos. Poderá ser montado um minimercado com estantes incluindo embalagens vazias de produtos e uma “caixa registradora”. O cantinho das Ciências, que poderá incluir livros referentes à disciplina; experiências realizadas pelos alunos como o plantio do feijão; um terrário; um aquário; por exemplo. O cantinho de História e Geografia, que poderá incluir materiais como um quebra-cabeças do mapa do município onde os alunos residem e outro do Brasil; confeccionados pelo professor e pelos alunos, no caso do 3º Período, e uma maquete dos Planetas da Galáxia, incluindo o Planeta em que vivemos A Terra, utilizando bolas de isopor de tamanhos diversos para representarem os planetas. O cantinho de Artes, incluindo, materiais necessários para os alunos realizarem atividades de artes, como, por exemplo: tinta guache, pintura a dedo, anilina dissolvida no álcool, massa de modelar, revistas para recorte, tesouras, cola, folhas brancas para desenho, lápis de cor, giz de cera, hidrocor e outros. O cantinho da Psicomotricidade, que poderá conter materiais como tênis (de madeira) com cadarço para o aluno aprender a amarrar, telaios (material montessoriano) com botões, colchete, velcron ( para as crianças aprenderem a utilizá-los), tabuleiro de areia, materiais e jogos de encaixe, de “enfiagem”, como, por exemplo, ( para enfiar os macarrões ou contas no barbante para trabalhar a motricidade refinada das crianças). O cantinho da Dramatização, que poderá incluir um espelho afixado de acordo com o tamanho das crianças, trajes dentro de um baú como, por exemplo, fantasias, acessórios como chapéus de mágico, de palhaço, enfim de diversos tipos, cachecóis, echarpes, bijouterias, estojo de maquiagem e outros. Poderá ser construído um pequeno tablado de madeira, onde as crianças poderão apresentar as dramatizações. O mobiliário deverá ser adequado ao tamanho das crianças: mesas, cadeiras, estantes, gaveteiro (para guardar o material pessoal dos alunos: escova de dentes, creme dental, pente ou escova, avental e outros), cavalete de pintura e outros. Os murais da sala podem ser confeccionados com materiais como cortiça, no estilo flanelógrafo, utilizando tecido próprio, onde deverão ser expostos os trabalhos dos alunos: pesquisas, exercícios, atividades de artes e outros. Quadro de giz afixado de acordo com tamanho dos alunos. Todo material que for afixado na parede, como por exemplo: murais, quadros de chamada de giz, linhas do tempo, janelinhas do tempo, cartazes, e outros deverão ser colocados de acordo com o tamanho dos alunos para que estes possam visualizar. As paredes da sala devem ser de cores claras, pois além de clarear o ambiente, “passam” tranqüilidade às crianças.
É fundamental que haja um cantinho reservado para colocar colchõezinhos, caso alguma criança adormeça, pois nessa fase algumas ainda dormem durante o dia. É necessário também o travesseirinho e uma manta ou edredon para os dias mais frios. Concluindo, a sala de aula de Educação Infantil deve ser clara, arejada e deve conter “estímulos” apropriados ao desenvolvimento integral da criança. Autora: Cássia Ravena Mulin de Assis Medel é professora e orientadora pedagógica do CIEP 277 João Nicoláo Filho “Janjão” e da Escola Municipal Professor Ewandro do Valle Moreira, localizadas no município de Cantagalo,RJ. Site de Origem da matéria: Site de dicas Uol

O Fumo e a Criança

Ótimo artigo do site Guia Infantil sobre os riscos que as crianças correm ao conviver com adultos fumantes. É muito importante que haja conscientização por parte de todos para que a saúde de nossas crianças não seja afetada por esse vício que só traz tristezas para a vida das pessoas. Esse é mais um motivo para orientar pais não convertidos a deixarem de lado as coisas que os prejudicam. Não coloco aqui pois são fortes demais, mas qualquer um pode procurar na internet por imagens de pulmões sadios e pulmões vítimas do tabaco. Não é nada agradável de se ver. Escrito por Pablo Zevallos Dez por cento das crianças são fumadoras passivas. Há pouco tempo foi comemorado o Dia Mundial contra o Tabaco, e como em todos os anos, foi chamada a atenção para todas as medidas e disposições para convencer as pessoas que deixem de fumar. Quem fuma não faz mal somente a si mesmo, mas também a todos os que estão expostos ao fumo do seu cigarro. Muitas crianças continuam sendo as principais vítimas dos erros dos seus pais. Queremos deixar bem claro que a escolha é dos pais, mas cabe a nós, como jornalistas, apresentar uma verdade que é comprovada por médicos e pesquisadores em todo o mundo. O fumo mata. Continua sendo o maior causador de câncer de pulmão e a principal causa evitável de morte no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Quando entramos na casa de um fumante, com certeza sentimos o cheiro do cigarro em todos os lugares, nas cortinas, nos tapetes, nas paredes, etc. Imagine o que ocorre dentro do seu pulmão. Não nos cabe julgar, mas informar. Mas quando se trata de crianças, o respeito à sua saúde é o mais importante.
Para celebrar o Dia mundial Contra o Tabaco, comemorado no dia 31 de maio, foi lançada a campanha "Juventude Livre do Tabaco". A escolha do tema aponta a preocupação da OMS na prevenção do tabagismo entre crianças e adolescentes. Cerca de 100 mil pessoas começam a fumar todos os dias ainda na juventude. A OMS estima que um terço da população mundial adulta (1 bilhão e 200 milhões de pessoas) seja fumante. Dados da organização apontam que anualmente 4,9 milhões de pessoas morrem no mundo por causa do tabagismo, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia. No Brasil, são 200 mortos pelo tabagismo a cada ano. Segundo a Sociedade Espanhola de Pneumologia Pediátrica (SENP), uma em cada 10 crianças está exposta diariamente ao fumo do tabaco dos seus pais e no seu próprio domicílio. Os pesquisadores dizem que é importante parar com o consumo do tabaco porque representa ums dos fatores de risco mais determinantes de doenças respiratórias infantis, juntamente com os fatores meio ambientais e a contaminação do ar. As crianças expostas ao fumaça do cigarro durante os dois primeiros anos de sua vida são mais propensos a desenvolver doenças respiratórias como a asma, além da bronquite e tosse. A fumaça do cigarro também pode causar morte súbita infantil. Os especialistas mostram a importância do aumento de mulheres grávidas fumadoras ativas e passivas, pelo seu impacto no desenvolvimento pulmonar do feto e no aumento de doenças respiratórias durante os dois primeiros anos de vida do bebê. Eles são unânimes em dizer que melhor ainda é a prevenção. Por que deixar de fumar? • Os filhos de fumantes adoecem duas vezes mais do que os filhos de não-fumantes e têm chances de começar a fumar, seguindo o exemplo dos pais. • A fumante grávida tem bebês com baixo peso, menor tamanho e maior chance de apresentar defeitos congênitos. • A fumaça do cigarro é o poluidor do ar mais constante e prejudicial à saúde que se conhece, pois as pessoas passam 80% de seu tempo em ambientes fechados. • Qualquer pessoa que permaneça nesses ambientes poluídos pode ter irritação nos olhos, garganta e nariz, dor de cabeça e tosse, além de maior chance de ter câncer. • O tabagismo passivo em crianças causa irritação nos olhos e das vias aéreas superiores, prejudica a função pulmonar, aumenta tanto a freqüência como a severidade das crises de asma, resfriados, faringites, sinusites, rinites e otites. • A exposição passiva à fumaça do tabaco é um risco real e imediato que precisa ser mais bem divulgada. Manter-se vigilante quanto à poluição ambiental causada pelo cigarro e/ou aconselhar um amigo ou parente tabagista a parar de fumar não significa apenas demonstrar preocupação com a saúde do outro, mas com a própria, e o mais importante de tudo, com a de nossos filhos. Origem da matéria: Guia Infantil imagens: Nova Semente Saúde do Futuro

Dislexia: O que é e Como Identificar?

QUEM É A CRIANÇA DISLÉXICA E COMO DESENVOLVER UM TRABALHO EFICAZ? Como podemos ajudar o nosso aluno disléxico a ter uma vida normal junto da igreja? Essas e outras perguntas podem ser respondidas lendo-se o texto abaixo. Joveliana Amado da Silveira Desde a pré-escola que a criança disléxica apresenta dificuldades para decorar cantigas de rodas, tem dificuldades para amarrar os cadarços dos sapatos ou calçá-los corretamente, também para se vestir sozinho, abotoar a roupa é quase impossível, muitas vezes não sabe o que a mãe lhe pediu para pegar, isto mostra problemas de memória. Esta criança parece estar perdida no tempo e espaço, confunde-se hoje, amanhã, ontem, direita, esquerda, para cima e para baixo. Também apresenta dificuldades com a seqüência e parece nunca saber em qual dia, mês ou ano está. Além disso, ao falar é hesitante, muitas vezes perde-se no discurso, enrola-se e não consegue se expressar claramente. Durante o período que ingressa na alfabetização é que a criança disléxica começa a ir mal na escola e muitas vezes é vista como preguiçosa ou imatura. No início da alfabetização, aos 7 ou 8 anos, aparecem as trocas de letras visualmente parecidas b/p ou s/z e semelhantes v/f, m/u parecem ser as mesmas, c/g, k/g. Aparecem também as letras e números espelhados, invertendo a seqüência de letras de uma palavra ou omite letras.
Na leitura faz trocas de letras ou adiciona palavras, além de apresentar letra feia, (disgrafia), apresenta problemas de conduta, auto-estima e variabilidade na produção. A definição da dislexia para a Associação Brasileira de Dislexia,‘‘é uma dificuldade acentuada que ocorre no processo de leitura, escrita, soletração e ortografia.Não é uma doença, mas um distúrbio de aprendizagem.Ela torna-se evidente na época da alfabetização, embora mesmo com uma boa instrução, inteligência adequada, oportunidades sócio-cultural e sem distúrbios cognitivos, quando a criança falha no processo de aquisição da linguagem. A dislexia independe das causas intelectuais, emocionais e culturais. É hereditária e ocorre com a maior incidência em meninos’’. O diagnóstico pode ser feito por meio de Exames de Imagem como:TC
(tomografia Computadorizada), RMF (Ressonância Magnética Funcional); SPECT-(Tomografia por emissão de Fóton Único); PET: (Tomografia por emissão de Pósitron). *Mestre em Educação,Professora do Curso Normal Superior da UNIPAC-Monte Carmelo, Psicopedagoga Clínica e Orientadora Escolar na Rede Municipal de Ensino de Uberlândia,MG. As características dos disléxicos são vista quando há maior incidência em canhotos e ambidestros; quando manifesta problemas no processo fonológico e problemas na linguagem oral; além de problemas com a memória de trabalho,sendo esta a dificuldade que permeia a dislexia. O distúrbio afeta de 5 a 15% da população e apresenta-se com maior ou menor intensidade em cada indivíduo, apresentando três graus: leve, moderada e severa. Há casos de crianças que lêem e não escrevem, elas têm uma resistência maior, sofrem amais.Existe uma corrente que hipotetiza a ortografia como área mais prejudicada pelo disléxico e outra corrente acha que treina a ler,isto é, a leitura é menos prejudicada e escrita é mais difícil (gravar é mais difícil).Existe também a criança que lê muito bem mas não compreende nada (dislexia de compreensão). O diagnóstico da dislexia é clínico e o tratamento é educacional, o acompanhamento deve ser diário, semanal, mensal, ensinando a criança a ler de outra forma. A dislexia não é tratada com remédios. A compreensão é cientifica. Tem muitos cientistas estudando. Os tipos de dislexia: a adquirida (afasias, doenças após acidente hemorrágico, meningite, acidente de carro, não é hereditária e a segunda, de desenvolvimento visual (diseidética) e auditiva (disfonética) não decodifica foneticamente, ainda a terceira que é a junção das duas, a mista.As áreas atingidas são: linguagem oral, processamento fonológico, memória de trabalho. Aparece muitas vezes dos 8 aos 10 meses no início da compreensão das palavras e aos 15 meses quando adquire vocabulário expressivo.
O processo fonológico é o uso das informações fonológicas nas estruturas da linguagem, isto é, onde ocorre o armazenamento de fonemas. As habilidades envolvidas: consciência fonológica, exige ritmo e aliteração na identificação de sílabas, manipular fonemas.Quando ocorre a nomeação rápida, ou disnomia, amadurecimento do corpo caloso.Antes dos 7 anos depende do corpo caloso,isto é, o que une, que ajuda a passar informações de um hemisfério para outro. A memória de trabalho é a organizadora de prioridades.No caso do disléxico é a mais afetada.Ela é importante para aprender a escrever, operar com os números. A memória seqüencial auditiva é responsável pela aprendizagem do alfabeto, músicas, meses do ano, e, no caso do disléxico não decora o alfabeto pois tem dificuldade nesta área. Já a memória seqüencial visual, é utilizada quando se escreve palavra e percebe que as letras seguem uma ordem. Para tratar os disléxicos devem-se procurar atividades que faça associar letras ao som. A leitura é a interação de diversas vias neurais e depende de estruturas corticais integras, entretanto, o difícil ato de ler requer vários processos neurológicos, psicológicos e sócio-ambientais para ser efetivo. O cérebro tem a capacidade plástica para adaptar-se, por exemplo, quando uma pessoa tem acidente vascular, o cérebro utiliza outra área para realizar a mesma tarefa. É impressionante que a maioria das pessoas aprendem a ler, uma vez que a leitura exige simultaneamente: atenção dirigida às marcas impressas e controle do movimento dos olhos, reconhecimento dos sons associados com as letras; compreensão das palavras e gramática; construção de idéias e imagens, comparação de idéias novas com as existentes; armazenamento de idéias na memória. Exemplo, na leitura silábica não se acumula informações e ler a palavra é ler pela primeira vez, não tem automoticidade para ler, isto é, lê e não compreende o que leu. Como lidar com o disléxico: Em primeiro lugar identificar os pontos fracos e as áreas geradoras de problemas, descobrindo o estilo cognitivo predominante e realizar o tratamento.Em segundo, utilizar material concreto, além de papel quadriculado, fazer jogos com premiações e castigos.Utilizar rimas, músicas e repetições, ler em voz alta, fazer com que a criança leia em voz alta, a pratique a visualização dos problemas,use desenhos. Não complicar visualmente. É indispensável permitir o tempo para fazer exercícios.Usar cartões com linguagem usada na aula.Prestar atenção não apenas no resultado, mas no processo utilizado.Observe os acertos e não somente os erros, como o aluno chega aos resultados. Conclui-se que existem pessoas nos dois extremos dos estilos; isto é, muitas pessoas podem usar dois estilos ao mesmo tempo.O estilo escolhido depende da dificuldade e tipo de questão.A estratégia compensatória utilizada vai depender do tipo de estilo dominante.Cada estilo é ligado a um hemisfério cerebral. Há mais minhocas que grilos.No hemisfério esquerdo domina a maioria das pessoas. As minhocas com memória deficiente são as que mais sofrem com a matemática.E as minhocas utilizam o hemisfério esquerdo. Se aceitarmos as hipóteses da dominância do hemisfério direito no cérebro disléxico, chega-se à conclusão de que uns grandes números de disléxicos são grilos.Os grilos são prejudicados no sistema de ensino por não documentarem seus processos, é necessário ensiná-los isto. Alguns exercícios favorecem a um ou outro estilo.Ter um estilo dominante não significa necessariamente que a criança tenha sucesso no uso. ‘‘Para o disléxico o difícil é fácil e o fácil é difícil’’. Fonte: http://www.psicopedagogia.com.br

A Criança Hiperativa

Olá meus queridos! Preparamos pra vocês alguns estudos sobre como identificar uma criança hiperativa e como lidar com ela em sua sala de aula. Eu sei que é muito difícil, mas podemos ter um grande aproveitamento com essas crianças, pois Cristo morreu por todos nós! A CRIANÇA HIPERATIVA A hiperatividade confunde pais, professores e médicos. Se não for diagnosticada nem tratada adequadamente, a doença vira tormento para a criança e para quem vive em torno dela. Hiperatividade é um termo corrente para um comportamento irrequieto, superexcitado e infeliz. Além da criança não conseguir fixar a atenção em uma atividade por mais de alguns minutos, os hiperativos sobem em móveis, falam compulsivamente, vivem perdendo material escolar e não suportam bem frustrações. Ser mãe de um hiperativo é muito difícil, tem que conviver com uma criança que não responde ao que é ensinado, vive derrubando as coisas... é impossível não ficar irritada. Nem toda criança que é agitada deve ser rotulada de hiperativa. A agitação pode ser resultado de problemas comportamentais ou manifestações de outras doenças graves, como autismo, hipertireoidismo e até depressão infantil. Os sintomas da criança hiperativa aparecem, no máximo, até os sete anos. Alguns sintomas do hiperativo: - Dificuldade de organizar tarefas - Descuido nas tarefas escolares ou em outras atividades - Não consegue enxergar detalhes - Dificuldade em se concentrar em tarefas ou brincadeiras - Parece não ouvir o que lhe dizem - Reluta em iniciar tarefa que exige grande esforço mental - Perde com freqüência objetos de uso diário, como material escolar e brinquedos - Distrai-se facilmente - Inquietação constante - Fala o tempo todo, começa a responder perguntas que ainda não foram completadas - Tem dificuldade de esperar sua vez em jogos ou situações em grupo, interrompe a conversa dos outros
Crianças hiperativas podem apresentar melhora em seu comportamento e desenvolvimento pedagógico se algumas regras forem consideradas. Aí vão as sugestões da psicóloga Mônica Duchesne e do psiquiatra Ênio Roberto de Andrade: . trabalhe com pequenos grupos, sem isolar as crianças hiperativas; . dê tarefas curtas ou intercaladas, para que elas possam concluí-la antes de se dispersar; . elogie sempre os resultados; . use jogos e desafios para motivá-las; . valorize a rotina, pois ela deixa as crianças mais seguras, mas mantenha sempre elevado o nível de estímulo, através de novidades no material; . permita que elas compensem os erros: sutilmente, faça-as pedir desculpas quando ofenderem os colegas ou convença-as a arrumar a bagunça em classe; . repita individualmente todo comando que for dado ao grupo e faça-o de forma breve e usando linguagem fácil de entender; . peça a elas que repitam o comando, para ter certeza de que escutaram e compreenderam o que você quer; . dê uma função oficial às crianças, como a de ajudante do professor; isso pode melhorar o relacionamento delas com os colegas e abrir espaço para que elas se movimentem mais; . mostre os limites de forma segura e tranqüila, sem entrar em atrito; . coloque a criança perto de colegas que não o provoquem, perto da mesa do professor na parte de fora do grupo; . oriente os pais a procurar um psiquiatra, um neurologista ou um psicólogo.
Para seguir os conselhos acima providencie os seguintes materiais e deixe-os sempre ao alcance dos alunos na sala de aula: - Caixa com gibis e caixa com livros de histórias infantis A criança hiperativa, quando faz uma atividade do começo ao fim, geralmente termina antes dos outros. Nesse caso, deixe que ela leia revistinhas ou livros, como forma de premiação. Mas certifique-se de que o aluno está realmente lendo e não fingindo que lê. Dê a ele atividades de leitura com responsabilidade. Peça, por exemplo, que ele conte para os outros o que leu, o que achou legal na história, qual é o personagem mais engraçado, mais maluco, inteligente, diferente etc. Ou então peça para ele desenhar a história lida, o que vale tanto para gibis como para livros de histórias. - Palavras cruzadas, jogos de trilha, atividades com figuras (jogo dos sete erros, ligue os pontos, encontre a figura escondida). É importante oferecer à criança hiperativa atividades diversificadas que exijam atenção mas que não a desgaste intelectualmente. Assim, ela terá sempre prazer em executá-las. Essas atividades têm também a função de premiar o aluno por ter terminado o trabalho rotineiro com atenção. - Atividades que estimulem as quatro operações: somar, subtrair, multiplicar e dividir, todas com desenhos que contextualizem o assunto. Fontes: Regina Pironatto Clube do bebê

Crianças Sem Jesus: Por Trás da Agressividade - Parte 1

Se você trabalha com crianças de fora do convívio da igreja sabe muito bem que o comportamento delas às vezes é muito diferente do que estamos acostumados a ver. São crianças com atitudes hostis e palavreado forte. Muitas delas se parecem com mini adultos. Existem muitos trabalhos envolvendo igreja e essas crianças, geralmente de um bairro próximo ou de uma comunidade carente. Quem faz esse tipo de trabalho sabe que não é fácil lidar com elas. É preciso muita paciência e amor. Quando se fala em trabalhar com crianças assim logo encontramos algumas dificuldades. Até mesmo dentro das igrejas. Há um certo preconceito em relação a elas que precisa ser extirpado. Quero lhe contar uma história. Sim, para você professor. Quando Cristo foi até a cidade de Jericó, sabia o que iria encontrar. Nessa cidade habitavam pessoas excluídas pela sociedade da época. A cidade de Jericó era conhecida por seus moradores. Eram doentes, leprosos, bandidos, fugitivos e esquecidos. Muitos dos problemas relacionados a essas pessoas eram resolvidos dessa maneira: apenas afastando-os. Jesus sabia disso e mesmo assim prosseguiu. Lá encontrou o cego Bartimeu. Vamos entender um pouco sobre esse homem. Bartimeu havia sido deixado ali pois era considerado um fardo. Ele sobrevivia pedindo esmolas. Seu nome - Bartimeu - era uma prova viva da falta de amor das pessoas pelos que sofrem. Bar: significa filho. Timeu: era o nome de seu pai. Bartimeu era conhecido como "o filho de Timeu". Ele sequer tinha um nome! Mas Cristo foi até ele e trouxe cura e salvação àquela vida esquecida pelo mundo. Ele não se importou com as suas vestes, ou com seu cheiro, ou com o seu comportamento. Jesus o salvou. Conheço várias histórias a respeito de como algumas igrejas se comportavam em relação a crianças do mundo. Muitos as olhavam com desprezo, se irritavam com o fato de falarem alto, de estarem de chinelos ou pé no chão dentro do templo, de seu comportamento não ser de acordo com o que estavam acostumados. Elas não eram cheirosas, bem vestidas e comportadas como as crianças de seu dia a dia. Já ouvi histórias de crianças que respondiam o professor com palavrões e ameaças. Mas ainda assim esse professor continuava o seu trabalho. Trabalho da Missão Evangélica Pentecostal Valentina II Estamos preparados para receber essas crianças? Por Trás da Agressividade Uma missionária que conheço sempre trabalhou com crianças carentes. Carentes de amor, de carinho, de proteção e de esperança. Algumas delas eram como "porcos-espinhos", repelindo qualquer demonstração de afeto como abraços ou beijos. Uma dessas crianças era uma menina de aproximadamente 12 anos. Era a mais bagunceira da turma e enfrentava qualquer menino maior que ela com violência. Era respondona e falava muitos palavrões. Mas mesmo assim ela continuava a frequentar o culto infantil e era tratada pela missionária com aceitação e carinho. Aos poucos a missionária soube que essa menina agressiva trazia consigo uma história de abuso e violência por parte do padrasto. Por esse motivo, demonstrações de amor e carinho eram interpretados por ela como ameaças. Era como se algo ruim viesse depois de um simples abraço. Por isso ela sempre os repelia. Havia outra criança que num belo dia apareceu toda molhada. Ela estava aguardando pelo culto infantil na porta do local durante a noite toda, pois sua mãe a havia deixado fora de casa e choveu. Essa criança passou a noite na chuva! Lá foi tratada e recebeu roupas secas e comida. Muitas dessas crianças acabaram recebendo ajuda do conselho tutelar devido às suas condições de vida. Algum tempo depois o culto infantil foi fechado por falta de interesse da igreja responsável por continuar o trabalho. Para eles, "lá não dava retorno algum (leia-se encher a igreja de membros)". Outros diziam que as crianças só compareciam por causa do lanche. Realmente era um cúmulo, pois aquelas crianças não aprenderiam nada sentindo fome e seus pais pouco se importavam em dar-lhes de comer! A missionária não conseguiu sustentar o aluguel do local sozinha. Mas graças a Deus ainda existem igrejas que se importam com as condições dessas crianças e tratam não só da alma, mas do bem estar do corpo, trazendo o alimento que elas muitas vezes não encontram em casa. Um belo exemplo é o lindo trabalho feito pela Igreja Evangélica Internacional Peniel! Trabalho da Igreja Evangélica Internacional Peniel Quantas vezes já vi pessoas de dentro da igreja tratando mal essas crianças! Chega a ser revoltante. A igreja precisa aprender a lidar com o diferente, com as pessoas do mundo e a bagagem que carregam. Eu realmente repudio esse tipo de coisa! Essas crianças precisam aprender que: - na igreja serão aceitas como são; - encontrarão o carinho e proteção que não possuem em casa; - que existem sim pessoas boas; - que Deus as ama muito. Missões no sítio Cidade de Sião, blog de André Scultori Sabem o que aconteceu com a menina brava e bagunceira? Anos depois essa missionária encontrou a menina. Ela gritou: "_Tia!" - E correu até ela. A menina disse à missionária: "_Tia, eu não me esqueci do que aprendi na "igrejinha". Hoje eu e meu irmão frequentamos uma igreja e ele logo será pastor!" Você pode e deve fazer a diferença entre essas crianças. Lembre-se: elas são como foram criadas. Não têm culpa disso. A elas foi apresentado um mundo de maldade, violência e mentiras. Cabe a nós professores mostrar um mundo diferente. Basta ter paciência e buscar a orientação de Deus. Imagens: http://ieipeniel-ieipeniel.blogspot.com.br/ http://prjoseiadrn.blogspot.com.br http://amscultori.blog.br http://mepbvalentina2.wordpress.com http://novotempo.com

BULLYNG

Como qualquer pai ou mãe vão lhe dizer, o bullying é um grande problema para as crianças de hoje.Separamos algo sobre o tema "bullying e a Bíblia". Nosso objetivo é simples: queremos preparar as crianças para enfrentar os desafios modernos do Bullying voltando-se para a Bíblia em busca de sabedoria, esperança e força. Ao longo da história, duas coisas não mudaram: a palavra de Deus e a natureza humana. A palavra de Deus fala alto e claro sobre o tema do bullying, e as histórias são relevantes sobre assédio moral e bullying. Pedimos a 6 melhores e mais brilhantes líderes para responder a mesma pergunta do site: Qual a história bíblica, passagem ou personagem para ensinar a uma criança vítima de bullying? Cada um dos seis especialistas preparou sua resposta de forma independente, e nós simplesmente compilamos suas idéias maravilhosas e diversificadas abaixo. Nós esperamos que você aproveite a discussão. Mesa Redonda: O bullying e a Bíblia Marty Machowski Pastor na Covenant Fellowship em Glen Mills, PA e autor de História Evangelho para Crianças (Gospel Story for Kids.) Enquanto não temos qualquer registro de Jesus sendo intimidado ou maltratados como um menino, Jesus falou de como devemos nos relacionar com aqueles que são rudes e isso significa para nós, que se aplica ao bullying. Jesus disse: "Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odeie o seu inimigo'. Mas eu vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus. Ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos. Porque, se amais os que vos amam, que recompensa que você tem? Se até mesmo os cobradores de impostos fazem o mesmo? E, se saudardes somente os vossos irmãos, o que mais está fazendo do que os outros? Não são assim também os gentios? Sede, portanto, perfeitos, como o vosso Pai Celeste é Perfeito. "(Mateus 5:43-48) Quando alguém nos maltrata, o instinto natural é sentir raiva ou mesmo ódio contra essa pessoa. Mas Jesus aqui nos aponta para uma resposta muito diferente. Você vê que, quando éramos inimigos de Deus, Ele nos amou, enviando o seu único Filho Jesus para morrer na cruz por nossos pecados para que pudéssemos ser perdoados. É esse mesmo tipo de amor que Jesus nos diz para estender aos nossos inimigos. Toda vez que uma criança é intimidada, ela precisa de ajuda no processamento de como lidar com a dor, medo e raiva que resulta. Quando as levamos para o evangelho, damos a oportunidade de processar o que aconteceu. Qual a melhor maneira de ajudar os nossos filhos a compreender que o mundo está cheio de almas perdidas que precisam de nossas orações? Qual a melhor esperança para passar de um incidente de assédio moral e de apontar-lhes a cruz e o sacrifício de Jesus por nossos pecados e, em seguida, convidando-os a estender o mesmo perdão para aqueles que nos oprimem. Carol Koch Fundadora / pastora sênior da Igreja Cristo Triunfante (Christ Triumphant Church) Eu levo um grupo de oração Infantil (de 5 anos = ou -) nas noites de terça-feira em nossa igreja. Eu busco equipar as crianças em todas as áreas de oração, ( orar pela cura, orando pelas nações, etc) como parte da programação eu sempre incluo um tempo que eu chamo de "ouvir orando" (imersão na oração), que é o tempo de ouvir Deus falar ao seu coração. Depois temos o momento de silêncio e eu sempre pergunto se Deus falou com eles, se há algo que está incomodando, se eles querem que nós oremos e ministremos sobre eles. Eu fiquei impressionado especialmente nos últimos 5 a 6 anos, as crianças que pedem oração por alguém na escola, no ônibus, ou por um vizinho, que foi cruel com eles, bateu neles ou e de alguma forma intimidou-os . Na maioria das vezes eles disseram isso longe de suas mães. O ambiente de oração cria uma atmosfera onde a criança se sente segura para compartilhar o que aconteceu. Eu escuto, então normalmente peço-lhes para dizer como se sentiram. É importante para a validação de seus sentimentos que não se rejeite isso com observações como "crianças são crianças". Eu poderia responder com "Eu sinto muito o que aconteceu com você, eu posso ver por que isso te incomodou". Nós (os pequenos e eu) vamos orar por eles, (isso abre a discussão para que os outros compartilhem situações semelhantes). Se o medo está envolvido, eu compartilho a escritura que diz que "Deus não lhes deu um espírito de medo, mas de poder, de amor e de controle." Então oriento-os a usar a escritura quando sentem esses sentimentos de medo, de dizer o verso até eles se sintam melhor. Encorajo-os a contar para os seus pais ou para a pessoa responsável, ou um adulto de confiança. Eu geralmente compartilho com um dos pais o que aconteceu, e sugiro que eles separem um tempo para conversar com a criança sobre o que está acontecendo em sua vida, sem a sensação de que a criança que traiu sua confiança. Nos dias em que vivemos todos nós estamos tão ocupados, muitas vezes ficamos tão distraídos pela vida que perdemos coisas que poderiam acontecer com nossas crianças. Arranje tempo para desenvolver uma vida de oração com os seus filhos e deixe-os aprender a expressar seus sentimentos.
Bernadette O'Shea 10 anos de experiência em Educação Cristã e Ministério Uma criança que sofre bullying é um herói. É preciso coragem para enfrentar cada dia sabendo que você vai ser insultado ou esmiuçado. Se uma criança chega até você com o problema do bulling, há várias coisas que você pode fazer para ajudar. Elogiar a criança para vir para a frente. Elogiá-los por sua força para tomar uma posição. Falar palavras de vida a essas crianças. Eles foram feridos e estão propensos a ter baixa auto-estima. Certifique-se de que eles entendem que eles podem compartilhar com segurança com você. Muitas crianças que estão sendo vítimas de bullying não tem uma pessoa em quem confiam para falar. Eles podem pensar que não podem falar sobre isso sem repercussões ruins. As crianças precisam ser ensinadas a ser corajosas e a se defender. Ensinar uma criança a ter uma auto-imagem saudável de si cria uma criança confiante. Eles não merecem ser tratados nada menos do que como o tesouro que são. Num capítulo do livro de Reis lemos a história de Jezabel. Ela era uma valentona que usou seu poder para fazer o mal. Foi preciso coragem de Elias para se levantar contra Jezabel e vencê-la. Primeiro Samuel 17 conta a história de Davi e Golias. Um jovem sem formação levantou-se contra um poderoso guerreiro que foi um torturador.David não permitiu que a fraqueza o dominasse. Ele enfrentou Golias com a ajuda de Deus e venceu. Uma criança que tenha sofrido bullying podem ter desenvolvido crenças ruins sobre si mesma. É importante ensinar as crianças a combater o que foi dito e feito contra eles. Incentive-os a compartilhar ou escrever o que foi dito e feito para eles. Então, mostre nas Escrituras o que Deus diz sobre isso. Se eles dizem que eles são feios: a palavra de Deus diz em Salmos 47:11 que "O Rei está encantado com a sua beleza". A vida de cada pessoa tem valor. Nós fomos criados com um propósito (Jeremias 01:05).Quando cumprimos esse propósito entramos em nosso destino e tocamos a vida dos que nos rodeiam.Como uma criança percebe o seu valor e importância, consegue levantar-se para o que pode vir á frente.
Amber Smith Consultora Infantil Ministério e Diretor de Criação Escritura: Mateus 27:27-30 (NVI) Os soldados zombam de Jesus Os soldados do governador levaram Jesus ao palácio, que foi chamado Pretório. Todo o resto dos soldados se reuniu em torno dele. Eles tiraram a roupa dele e colocou um manto de púrpura. Em seguida, eles torceram espinhos juntos para fazer uma coroa. Eles colocaram na cabeça dele. Eles colocaram uma vara em sua mão direita. Em seguida, eles caíram de joelhos na frente dele e fizeram piada com ele. "Salve, rei dos judeus!", Disseram. Eles cuspiram nele. Jesus conhece de primeira mão o que é ser intimidado. Depois de Jesus ter sido preso os soldados bateram nele. Pode ser difícil falar sobre o abuso que você sofre de um valentão, porque você se sente como se ninguém pudesse te compreender. Você pode sempre falar com Jesus, mesmo que se sinta como se não pudesse falar com alguém, porque Ele sabe exatamente o que é ser machucado tanto fisicamente como emocionalmente. O que você deve ter em mente, no entanto, é que, mais tarde nesta história da Bíblia, Jesus perdoa aqueles que o machucam, dizendo a Seu Pai no céu, "Pai, perdoa-lhes. Eles não sabem o que estão fazendo. "(Lucas 23:32, NVI). Há poder no perdão. Por mais difícil que possa ser, você deve seguir o exemplo de Jesus e perdoar os valentões que machucaram você também. Kenny Conley Pastor NextGen na Gateway Church em Austin, TX Saiba mais de Kenny em seu Blog- Childrens Ministry Online Inicialmente, ao falar sobre a questão do assédio moral, o meu pensamento foi para as histórias de Davi e do rei Saul. O rei Saul tinha alguns problemas de insegurança muito significativas e sentia-se incrivelmente intimidado por David. Sem nenhuma razão, (exceto por ser ciumento), o rei Saul procurou trazer prejuízos para Davi. Às vezes as pessoas que estão lidando com a insegurança ou outras questões vão nos tratar de forma inadequada, assim como o rei Saul fez com Davi. Davi teve um nível muito elevado de respeito para com Saul. Ele sabia que Saul era amado por Deus e que tinha sido ungido por Deus, por isso não procurou prejudicar Saul. Devemos tirar uma lição aqui. Mesmo quando um valentão nos trata com desrespeito, é importante lembrar que Deus fez aquele valentão e cuida dele ou dela também. Podemos tomar qualquer ação que nossos pais ou professores sugerem, mas é importante lembrar que Deus ama o / e devemos tratá-lo / la do jeito que Deus o vê. Brittany Sky Stanley Editora de Recursos para a Infância United Methodist Publishing House Blog- iHeartChildren Ser intimidado é uma coisa difícil de se lidar. É difícil falar, difícil de entender, e difícil de esquecer. Eu não conheço uma alma que sabe verdadeiramente um método à prova de gente assim, mas há uma verdade que eu sei. Deus criou cada um e de todos os seres na terra e viu que eles eram bons. Você é bom. Você não é insignificante, ou qualquer uma das outras coisas odiosas que estão sendo ditas, ou feitas. Você é bom. Deus tomou grande cuidado em fazer você do jeito que você é, e viu que tudo era bom sobre você. Quando as coisas parecem escuras, lembre-se que você é importante para Deus. Você é uma bela criação. Você tem um lugar especial aqui na Terra. Fontes: portaldoprofessor.mec.gov.b educadora para a vida christianity cove

Estamos em guerra! A ganhar dinheiro família bombardeada pelos setores midiáticos

"Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder". Você está convocado para a guerra! O Dr. M. Lloyd Jones disse, no seu renomado livro O Combate Cristão: “A vida cristã é uma guerra. Somos estrangeiros em terra alheia e estamos no território do inimigo”. A batalha é travada entre as ciladas (metodhai=estratégias ou métodos) arquitetadas pelo inimigo e a família. A família é instituição divina. Deus disse: "Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra ..." (Gn 1:28). Deus tem lindo projeto para ela: que seja preservada, unida, célula do corpo de Cristo e exemplo para a sociedade. É indubitável que famílias estruturadas formam uma boa sociedade. O presente século tem valores ético-morais que tentam obstruir o caminho proposto por Deus para a família. As novelas televisivas procuram promover a falsa idéia de que casamento não é necessário e deve durar pouco; que relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo são “normais” e uma tendência; e que infidelidade conjugal é uma questão habitual; quem não concorda com esses valores é taxado autocraticamente de “preconceituoso”. Enquanto tentamos pastorear as famílias entre visitas, cultos e eventos da igreja local, há centenas de mensagens detestáveis invadindo nossas casas e ensinando nossos filhos a viverem uma vida promíscua, sem responsabilidades e longe de Deus. Nossos jovens são atraídos pelos programas de “namoros” relâmpagos e sites de relacionamentos. Muitos acabam vitimados por relações frustradas. Nossas crianças são vilipendiadas através de desenhos e programas que enaltecem a violência, a sexualidade precoce, a falta de altruísmo e a rebeldia. A inversão de valores fomentada pela mídia é gritante e assustadoramente sádica. Paulo escreve uma de suas cartas com preocupação enfática sobre a família e os problemas sociais do seu tempo: Efésios. O apóstolo está na prisão, em Roma, redigindo um dos textos que mais enaltecem os bons valores cristãos. A Supremacia de Cristo, a graça para os judeus e gentios, a conduta moral do cristão, a vida em comunidade, o relacionamento conjugal e entre pais e filhos, a autoridade na sociedade e a luta contra as estratificações espirituais do mal são assuntos ressaltados na carta. Sugiro que você leia o capítulo 6 da carta aos Efésios. A preocupação com a família dá a tônica da carta. É muito nítido que o cristão deve estar com os ganhar dinheiro relacionamentos e a espiritualidade em ordem para entrar no Combate que todo Filho de Deus enfrenta (Ef 6:10ss). Nossa luta não se dá contra seres humanos e sim contra as forças do mal, personificadas, hierarquizadas e bem organizadas. Jhon Macarthur disse: “O diabo não é tão burro. É organizado”! Estamos convocados para uma guerra “Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.” Toquem a trombeta, soem os tambores, convoquem os valentes, pois estamos em batalha contra o mal e seu alvo de ataque é a família, núcleo e quartel general dos bons soldados de Cristo. Outro texto bíblico que nos chama a atenção se encontra em Romanos 12:1. “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”. A palavra mundo do texto pode ser traduzida por “era” ou “cultura predominante”. Isso significa que não podemos ter por regra os valores impostos pelos setores midiáticos. Outro termo que se ressalta no verso supracitado é o transformai-vos, proveniente do grego = methámorfou, que significa: transformação, metamorfose, transfiguração. Ou seja, é preciso reagir aos princípios nocivos absorvidos pela sociedade através de uma mente transformada pela maturidade espiritual. Ainda e não menos importante, assinalemos o verbo experimentar, que deve ser apropriadamente traduzido por “discernir” que conota discriminar, descobrir e conhecer. Nesse sentido, o texto nos exorta a não vivermos em conformidade com os padrões desta Era e a mudar a mente a partir do discernimento da vontade de Deus revelada em sua Palavra. Só assim a boa, agradável e perfeita vontade de Deus será descoberta, assimilada e introduzida no comportamento cristão. Não podemos demonizar a utilização da televisão, internet e outros meios. Entretanto devemos advertir sobre os perigos para a família embutidos nos meios de comunicação. É necessário proteger a instituição mais singular da criação. O controle remoto está em nossas mãos, o mouse também. O combate cristão é exercido com maturidade e destreza na aplicação correta da Palavra da Verdade. A armadura do soldado de Cristo, com a qual devemos nos revestir é um comportamento irrepreensível (Ef. 6:14-18) e que desestabiliza os ataques do inimigo. Você aceita essa convocação? Diga "sim" no espaço abaixo e faça seu comentário. Thiago Gigo

Sabedoria , eu preciso!!

“Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!” – Romanos 11:33 Hoje tudo passa rápido e o sentido da vida se mostra tão superficial que a maioria das pessoas, se deseja algo, quase sempre tem a ver com emprego, dinheiro, casa, casamento, filhos e conforto. Isso tudo é bom e necessário, todavia a maior das carências é por sabedoria. Por isso, desejo que em 2013 tenhamos sabedoria para equilibrar e administrar todas as áreas de vida. Precisamos de sabedoria Somos a sociedade do conhecimento. Nunca tivemos tanta informação disponível. Basta uma busca simples no Google para perceber que temos informação sobre tudo. Nossa sociedade é conhecedora de todos os assuntos possíveis, graças ao desenvolvimento tecnológico. Estamos mergulhados num oceano de especialidades. Somos a sociedade das especialidades. Sabemos demais. Um amigo meu me apelidou de Google, porque tenho a péssima mania de oferecer soluções para todas as situações. Conheci um professor que possuía o apelido de “enciclopédia ambulante” – não sem razão. Vivemos com pessoas assim todos os dias e que sabem um pouco de tudo. Veja no Facebook quantos filósofos das futilidades opinando sobre assuntos variados. Não há dúvidas, há muita informação disponível. Todavia, informação e conhecimento não são fundamentais na vida. Ambas são importantes, mas há algo mais sublime e altaneiro: a sabedoria! temos muito conhecimento, mas pouca sabedoria. Possuímos muitas informações, porém pouca habilidade para aplicá-las a nosso favor. A internet tornou o acesso ao conhecimento globalizado. Somos detentores de uma enciclopédia cibernética à nossa disposição. Mas tudo isso se torna inútil se não utilizarmos com sabedoria. Sabedoria, sobrepuja o conhecimento, a experiência de vida, a quantidade de informações que coletamos. Sabedoria, precisamos dela! Mas o que é sabedoria? Sabedoria significa discernir a história com a mente embebida pelas Escrituras. Sabedoria é a habilidade de ver as circunstâncias através de Cristo, não o contrário. Denota ainda, amadurecer com os erros, provações e adversidades. E não menos importante, é necessário definir sabedoria como o reconhecimento de que somente em Deus, como fonte de todo saber, seremos sábios. “Sabedoria é o presente do Espírito Santo para enxergar a vida a partir da perspectiva de Deus”. É desse modo esplêndido que Peter Davis define a sabedoria. Nada a acrescentar. Provérbios 1:7 diz: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; mas os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução”. Portanto, temer a Deus é uma atitude sábia, obediente e submissa àquele que é onisciente e fonte de toda a sabedoria. Saber algo não significa, necessariamente, ter sabedoria. Ser sábio, não consiste em saber algo (conhecer, ser informado). Sabedoria, aliás, diz respeito ao reconhecimento de que nada sabemos. Conforme Jó 42:3 afirma: “Quem é este que sem conhecimento obscurece o conselho? por isso falei do que não entendia; coisas que para mim eram demasiado maravilhosas, e que eu não conhecia”. E ainda Provérbios 26:12, que diz: “Você conhece alguém que se julga Sábio? Há mais esperança para o insensato do que para ele”. Sabedoria não se adquire nas cadeiras universitárias, tampouco nos livros de autoajuda. Vem de Deus. Reconhecer que nada sabemos já é um bom indício de sabedoria. Como Sócrates asseverou no passado: “O início da sabedoria é a admissão da própria ignorância. Todo o meu saber consistem em saber que nada sei”. Sócrates Provérbios 26:12 que diz: “Vês um homem que é sábio a seus próprios olhos? Maior esperança há para o tolo do que para ele”. Há mais esperança e expectativas para um idiota ensinável do que aquele que se considera sábio. A regra para ser sábio é não considerar-se sábio. Por isso, Tiago diz: “peça a Deus” (Tiago 1:5)! – conheço gente da roça que é mais sábio que muito catedrático. ideias para ganhar dinheiro Só buscamos aquilo que entendemos não ter. Quem se considera sábio, jamais pedirá sabedoria. Pedir aquilo que Deus deseja oferecer é uma atitude sábia! Sabedoria é Jesus Cristo! É o pão que alimenta como o maná do conhecimento de Deus, a água que lava as mazelas da alma, a luz que ilumina as obscuridades da consciência, a Palavra que suplanta o vazio e a sabedoria encarnada, enxertada na história. Como afirmou o apóstolo Paulo: Cl 2:3 “no qual estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência”. Jesus Cristo dissipa nossas ignorâncias; Nele somos completados e todas as lacunas da existência são devidamente preenchidas. Jesus é a fonte: “porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele subsistem todas as coisas” Cl 1:16-17 Não precisamos apenas de paz, de dinheiro, da ausência dos problemas e outras aparentes necessidades – mas de sabedoria, de Jesus! Sem Ele pereceremos no oceano da estupidez e sucumbiremos no abismo das incapacidades. Seremos confundidos pelos conselhos da ignorância e enredados por caminhos labirínticos. Enfim, é necessário definir sabedoria como um salto de Bungee jumping nas profundezas de Deus! Precisamos de sabedoria Sabedoria gera autocrítica e confere lucidez antes de agir. Quem é mais sábio, reconhece seus erros e para de culpar os outros por suas fraquezas – pede perdão. A falta de sabedoria se reconhece nas provações e a carência de maturidade se sobressai nas adversidades (Shedd). Quando passamos por lutas, ou seja, travamos batalhas emocionais, físicas, familiares e financeiras percebemos que a sabedoria é a vacina que nos municia para tempos difíceis. Somos mais rápidos para reclamar e murmurar, do que para adorar! Jó adorou na provação (Jó 1:22.) Isso é maturidade e sabedoria. Quantos de nós agimos assim diante das perdas, dificuldades e provações? Por isso o líder da igreja em Jerusalém e meio irmão do Senhor Jesus, Tiago, escrevendo aos cristãos sofredores diz que o que precisamos não é ausência de problemas, mas de sabedoria: “2 Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, 3 sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; 4 e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma. 5 Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada”. Tiago 1:2-5 Que em tempo de dúvidas a sabedoria de Deus seja nossa conselheira para a tomada de decisões. Em tempo de adversidades, seja ela a serenidade que precisamos para suportar as angústias. E em período de planejamento, seja a sabedoria uma atitude de maturidade que nos ajuda a planejar, sem procrastinar; execução, sem ativismo; equilíbrio nas projeções das expectativas com realismo, sem perder a fantasia dos sonhos. Em tempo de oração, seja ela o orvalho do céu sobre nossa cabeça e as fagulhas do caráter de Deus a chamuscar nosso procedimento. A sabedoria que vem do alto é pura, indulgente, misericordiosa, pacifica, tratável, amiga, justa, imparcial, e não fingida. Tiago 3:17 Minha conclusão e desejos para este ano é que este novo ciclo se preencha de novos recomeços e desfechos; planos e realizações; desacertos e crescimento, avanço e expansão – como orou Reinhold Niebuhr: “concedei-nos Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguirmos umas das outras”. Sabedoria - eu preciso! [1] Referências: SHEDD, Russell e BIZERRA. F. Edmilson – Uma exposição de Tiago – A sabedoria de Deus. Shedd publicações, 2010 / GOMES, Marcelo - Sabedoria para viver e ser feliz. Espaço Palavra, 2011.

Entre Neemias ideias para ganhar dinheiro e os bambus

“Então lhes declarei como a mão do meu Deus me fora favorável, e bem assim as palavras que o rei me tinha dito. Eles disseram: Levantemo-nos, e edifiquemos. E fortaleceram as mãos para a boa obra.” Neemias 2:18 Você certamente conhece o bambu. É uma planta formidável e inspiradora. Permita-me resenhar algumas alegorias entre esta planta enigmática, seus significados e a vida do cristão. Bambus crescem no longo prazo – uma única semente pode formar uma floresta entre 30 e 40 anos. Leva tempo, entretanto ele associa qualidade à quantidade no longo prazo. Possuem raízes profundas – crescem primeiramente para baixo, depois de anos começam a avançar para o alto e para os lados. Encurvam-se, mas não quebram facilmente - Não são facilmente derrubados nas tempestades. Possuem resiliência suficiente e envergadura elástica para encurvar e voltar. São muito úteis – bambu é matéria prima para muitas utilidades. Seu caule lenhoso é utilizado na fabricação de medicamentos, instrumentos musicais, casas, roupas, móveis, cestos, na construção de edifícios resistentes a terremotos, dentre outros. Enfim, são profundos, pacientes, resistentes, perseverantes e úteis: tal como as pessoas de fé e que confiam em Deus. Você se parece mais com o bambu ou com um graveto? Já foi levado ao desânimo por causa das pressões externas? Já naufragou no oceano da murmuração ou mergulhou no lamaçal das críticas destrutivas? Nosso personagem de hoje não cedeu à oposição, mas permaneceu firme, porque a boa mão do Senhor era com ele – Neemias é o seu ideias para ganhar dinheiro nome e ele se parece muito com os bambus. Neemias, o personagem principal do mesmo livro que leva o seu nome, renunciou a um cargo de responsabilidade e bem remunerado perante o rei da Pérsia, no ano de 445 a.C., a fim de reconstruir os muros de Jerusalém e congregar os judeus como nação (1:1 - 3:32). Seus trabalhos provocaram intensa oposição de homens poderosos, mas Neemias se sobrepôs às ameaças, adotando sábias medidas defensivas (4:1-23). Neemias tinha uma convicção interna de que era servo. Ele tinha certeza da sua missão. Era vocacionado para reconstruir a ordem política, social e religiosa do povo. Neemias conquistou a simpatia de um Rei ímpio chamado Artaxerxes, se importou com uma cidade destruída e convocou o povo para trabalhar. No meio do caminho surgiram percalços e obstáculos, mais uma vez este homem incita o povo a não desanimar. Que personagem espetacular! Temos muito a aprender com este servo de Deus. Por isso, neste mês, sugiro a leitura do livro de Neemias. Às vezes somos levados pelos ventos da desistência e atormentados pelas tempestades da inconstância. Muitas das nossas experiências de desânimo seriam evitadas se aprendêssemos mais com Neemias. Nenhum personagem na Bíblia foi tão corajoso, intrépido e perseverante, mesmo em meio a muita oposição. E nós, que faremos? Ficaremos prostrados diante dos problemas ou olharemos para Aquele que suportou provações maiores que as nossas? Jesus deseja transformar cada um de nós - como os bambus. Pense nisso!

Anime-se

”Portanto levantai as mãos cansadas, e os joelhos vacilantes” (Hb 12:12) Não se torne mais uma vítima do esgotamento psicoemocional. Em Jesus somos fortalecidos (Fl 4:13) e Nele podemos descansar a nossa alma. Encontro muitas pessoas precisando de uma palavra como essa, de ânimo e encorajamento. Muitos de nós não temos muita paciência com as coisas. Vivemos numa sociedade extremamente imediatista e que gosta de resultados em curto prazo. Esperar cansa. Paciência e perseverança são as palavras dos nossos dias. Nunca precisamos tanto delas. Digo essas coisas porque vivemos num ambiente, mesmo o religioso, extremamente imediatista, que pressiona, exige, cobra e traz fardos pesados que não somos capazes de carregar. Não fomos ensinados a esperar, tampouco a perseverar; tal virtude pressupõe vencer o cansaço da alma, as frustrações geradas por expectativas projetadas e não alcançadas; enfim, enfrentar barreiras hipoteticamente intransponíveis e crer que há uma luz no fim do túnel. Perseverar, então, nos ajuda a transpor o esgotamento e alimenta a nossa fé em Jesus. É exatamente sobre isso que o autor de Hebreus escreve. Ele acabara de falar sobre a definição, exemplos e aplicações da fé no capitulo 11. Agora nos encoraja a olhar para ideias para ganhar dinheiro Jesus, Autor e Consumador da fé. Tal como os olhos de um atleta estão fitos na linha de chegada, a expectativa do cristão e sua fonte de ânimo estão na firmeza com que olha para Jesus. “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus ...” Hb 12:2. Portanto, não desfaleça. Não desanime feito um atleta que olha para os obstáculos no caminho e não completa sua prova porque não visualizou o alvo. Tire os seus olhos das circunstâncias e firme-os em Jesus! Ele diz: ”Portanto levantai as mãos cansadas, e os joelhos vacilantes” (v. 12). As provações são passageiras e Jesus as suportou em grau maior para oferecer seu exemplo de perseverança. Ele foi até à morte na cruz, em obediência ao Pai. Cansou, mas não desistiu. Sofreu, mas não desanimou – mesmo sabendo que suportaria o mais algoz dos sacrifícios. Reanime-se! Erga a cabeça, olhe para o mestre e não “desmaie” em meio às adversidades. Recobre suas forças, trabalhe na obra do Senhor com alegria, tenha paciência com as mudanças, não retire seus olhos do objetivo maior: JESUS CRISTO, autor e consumador da fé. “Considerai... para que não vos canseis, desfalecendo em vossas almas” - (Hb 12:3)

Gratidão

“Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios”. Salmo 103:2 Gratidão é atitude eivada de espiritualidade. Com ela encontramos um lugar no coração do próximo e oferecemos reconhecimento àquele que nos faz bem. A Psicologia moderna nos ensina que pessoas gratas são mais saudáveis emocionalmente; são mais felizes e realizadas. Mas há um problema a ser observado: gratidão não está na moda. É muito comum encontrarmos pessoas frustradas porque não foram tratadas da maneira esperada, ou amarguradas por não receberem o reconhecimento à altura do bem realizado. Numa sociedade capitalista, onde os valores do mercantilismo, consumismo, egocentrismo, materialismo e hedonismo estão elevados a patamares jamais imaginados, os relacionamentos são “coisificados” e o interesse pelo próximo diminui a cada dia. Acabamos transferindo esses malefícios para o nosso relacionamento com Deus e nossa oração se torna consumista, egocêntrica e ingrata, muitas vezes. Pedimos muito e agradecemos pouco. Somos mais rápidos para receber do que oferecer; preferimos ser beneficiado a beneficiar. Não é estranho que muitos falem com Deus como se estivessem num balcão à espera que o garçom divinal cumpra sua “obrigação” de abençoar os consumidores da fé ansiosos pelos produtos espirituais. Falta reciprocidade no relacionamento com o Pai. Falta gratidão. Como asseverou o biblista William Hendriksen: “A oração sem agradecimento é como um pássaro sem asas”. Gratidão está escassa, inclusive em nossas orações. Podemos fazer três afirmações prévias sobre esse tema tão virtuoso: Gratidão é um sentimento de dívida impagável. Há uma dívida emotiva em relação àquele que nos faz bem. Gratidão significa esse desejo de saldá-la através de palavras, atitudes, presentes e expressões. Tínhamos uma ideias para ganhar dinheiro dívida impagável com Deus por causa do pecado e Jesus Cristo pagou por nós, na cruz. Devemos agradecer por todas as atitudes do amor de Deus. Agradeceremos sempre, mas nunca preencheremos a lacuna que deixamos com o pecado. Gratidão, portanto, é uma dívida. Gratidão é uma atitude altruísta. É o ingresso de entrada para consciência do outro. Através dela abrimos caminho para relacionamentos mais profundos. Quem diz “obrigado”, constrói pontes. Atitudes de agradecimento são uma vacina contra o vírus do egocentrismo. Através dessa conduta admirável suplantamos os espinhos da amargura que ferem as emoções. É o remédio para o egocentrismo. Gratidão, enfim, não deixa de ser uma ponte. Gratidão é necessária. O Salmista diz à sua consciência: “bendize (... ) e não te esqueças”. São os imperativos da fé para aquele que conversa com a própria alma. No colóquio com Deus a gratidão é um dever majoritário. Na conversa com o Pai, a gratidão vem em primeiro lugar. “O cristão está indeciso entre bênçãos recebidas e bênçãos esperadas; portanto, ele deve sempre dar graças”. M. R. Vincent. Logo, gratidão é imprescindível. Portanto, agradeçamos. Demos graças por tudo, como ordena o texto sagrado, porque esta é a vontade de Deus. Agradeçamos pelas dificuldades que nos trazem maturidade e pelas bênçãos que representam o cuidado do Pai. Agradeçamos Àquele que não falha e que cumpre cada uma de suas promessas. Àquele que nos farta de benefícios incontáveis, visíveis e invisíveis, seja a honra, o louvor, a glória e o reconhecimento de um coração grato. Desejemos saldar essa dívida, construamos essa ponte indispensável em nossos relacionamentos com o Pai e o próximo. Deste modo, atenderemos a seguinte ordenança:

Carta de ideias para ganhar dinheiro um "bobo alegre"

“Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia”. Salmos 139:16 Olá meu(minha) filho(a), Recebi a confirmação dos médicos que você está no ventre da sua mãe, por isso quero lhe dar as boas vindas. Recebo-o como um presente de Deus! Como ainda não sabemos o seu gênero, pois são apenas 6 semanas de gestação, permita-me tratá-lo no masculino. Está com o tamanho de uma ervilha agora. Seu coração bate forte. Ainda não há forma completa, mas pelo exame ultra som sabemos que você chegará em breve. Está saudável e pelo visto, muito bem acomodado nas entranhas amorosas de sua mãe. Seu pai é um “bobo alegre” agora. Sua chegada virou meu mundo de ponta cabeça. Estou eufórico, alegre e com uma mistura de ansiedade e medo. Você mexeu comigo sem falar, ouvir ou pensar. Sou um homem mais completo por sua causa, desde a sua concepção. E este bobo que escreve, deseja deixar um registro desse momento histórico que preanuncia sua chegada. Antecipo este texto para que na idade oportuna você saiba como é amado, querido e desejado. Assim, também, há mais um motivo para eu alfabetizá-lo antes do período escolar. Papai deseja que você seja fiel a Deus, em primeiro lugar. Ame-o com todo o seu coração. Não há razão melhor para sua existência. Para mim sua chegada foi uma agradável ideias para ganhar dinheiro surpresa, embora Deus não seja surpreendido por nada. Você foi concebido na mente de Deus antes de chegar ao ventre da sua mãe. É fruto das nossas orações. Desejamos sua vinda. Pedimos a Deus que fizesse um milagre em nosso organismo; e ele o fez! Por isso, queremos cuidar de você com toda a dedicação e atenção necessárias, de modo que você compreenda que nasceu para a glória de Deus e deve fazer de tudo para honrá-lo. Não há motivo maior para sua chegada a este mundo tão desafiador. Viva para a glória de Deus, o Criador da vida. Eu amo você com todo meu coração. Almejo ver o seu rosto, delinear seus cabelos e memorizar suas feições. Nutrirei sua mente com as Escrituras e seu coração com minhas orações a Deus. Serei um exemplo de hombridade e pedirei perdão, sempre que for necessário. Por favor, querido filho, lembre-me disso. Certamente precisarei. Hoje, dia 15/07/2013, inauguro uma nova fase em nossa família. É a etapa em que você chega e muda os desfechos. A parte do espetáculo em que você promove festa e alegria. É o cenário em que faremos tudo e decidiremos sobre todas as coisas, pensando em você. Será difícil, mas Deus nunca nos deu uma dádiva que não fosse possível administrar. Por isso, cremos que o Senhor, que o teceu dentro do ventre de sua mãe, dará todas as condições necessárias para conduzi-lo no Caminho da vida eterna. Seja bem vindo!

ALMA ABATIDA?

As provações surgem e desaparecem, mas o cuidado de Deus é constante. Sei que muitas vezes você passa por adversidades e a sua alma fica abatida. A doença que chega, crise no casamento, problemas com filhos, desemprego, etc. Por mais que pareça, sua situação não reflete a ausência de Deus. Ele é soberano. Governa todos os detalhes da nossa história e nossa vida está em suas poderosas mãos. Ele não é um "deusinho" sádico, autoritário e que se diverte com as nossas mazelas. Deus assiste com cuidado a vida dos seus filhos, aqueles que foram chamados por ele, antes da fundação do mundo. Sua alma está abatida, mas Deus está trabalhando exatamente através dessas adversidades, forjando seu caráter e fazendo de você uma pessoa ideias para ganhar dinheiro melhor. Como Elbert Hubbard, afirmou: "Deus não examinará você procurando medalhas, certificados ou diplomas, mas sim cicatrizes". O sofrimento serve para mostrar o quanto somos frágeis e, como asseverou C. S. Lewis no livro O problema do Sofrimento: "antecipa a miséria que todos um dia teremos de experimentar", ou seja, a morte. É uma denúncia ao pecado que trouxe miséria na história humana. Mas isso acabará um dia! Jesus Cristo derrotou todo sofrimento na cruz. O pecado, a morte e o sofrimento não estão totalmente destruídos ainda, mas serão definitivamente aniquilados da história (Ap 21:4). "Por que está abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu." Sl 42:11

Perdoar

Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”. Romanos 12:18 Não há caminho mais certo para a libertação das doenças da alma que o perdão. Frequentemente nos vemos envolvidos em algum tipo de conflito relacional. Somos surpreendidos pelas pessoas que amamos quando ouvimos palavras de amargura e raiva. Nossa alma se abate quando somos alvos de fofocas, falsidade e mentira. Quem jamais sofreu algum tipo de palavra dura e amarga ou algum tipo de prejuízo por parte de alguém? Todos passamos por situações assim. Por isso, não é possível viver pacificado sem perdoar essas pessoas, tal como Deus nos perdoou. Vale a pena liberá-las das lembranças amargas que acumulamos. Se possível, procure a pessoa e converse francamente. Ore por ela e perdoe-a pela ideias para ganhar dinheiro fé! "Jesus não morreu apenas para pagar pelos meus pecados contra Deus e as outras pessoas, mas também para pagar pelos pecados dos outros contra mim". Craig Hill "Aquele que não perdoa, destrói a ponte por onde ele mesmo tem de passar" George Heberth (citado no livro Maravilhosa Graça, de Philip Yancei) Tenha os seguintes princípios em mente, ao perdoar: a - Perdão é mandamento e não opção. Não tenho escolha, senão perdoar como Cristo me perdoou! b - Não tem haver com sentimento, mas com obediência à Sua Palavra. É, antes, uma decisão por fé! c- Desate as amarras do passado e caminhe livre das feridas relacionais. Como disse Dale Gallowey: "Deixe que seus sonhos e nãos os remorsos controlem sua vida!" Se você entende que alguém precisa dessa pequena reflexão, compartilhe. ‪#‎perdoe‬

Murmurar...

Rompendo com o hábito de*&%%MURMURAR *&%¨# “E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor”. 1 Coríntios 10:10 Murmurar significa reclamar, maldizer, conceber mau juízo[1]. Reclamamos com instantaneidade, agradecemos com vagarosidade. A murmuração é o grande mal desta geração. Mas há algo de bom na murmuração, por incrível que pareça: ela denuncia a nossa distância de Deus. E como sintoma denunciante ela indica o alto grau do nosso descontentamento. Enfim, a murmuração torna evidentes as percepções ingratas que temos sobre as coisas e demonstra o quanto somos insatisfeitos. É necessário romper com esse péssimo hábito. Nossa primeira atitude, em geral, é criticar o murmurador. Mas isso não basta. Antes de ser um chato murmurante, aquele que reclama está doente. Sofre de enfermidade da alma. É gente que não foi amada, valorizada e preenchida. Possui muitas lacunas emocionais e traumas, por isso não pode dar aquilo que não recebeu. Todo o passado volta à tona, geralmente, exteriorizado através de revolta verbal. Alguém o frustrou no passado. Talvez, seus pais disseram que não era bom o suficiente. Quiçá, não tenha recebido afeto satisfatório? Ou ainda, tenha sido alvo de muita ingratidão por parte daqueles que beneficiou um dia? Não sabemos os motivos ou a origem exata. Entretanto, é certo que você está doente e precisa de cura na alma. A murmuração é apenas um sintoma de um mal maior. É a conseqüência, não a causa. O murmurador sofre e através da falação coloca para fora seu sofrimento psíquico. Como todo enfermo, portanto, precisa ser cuidado. O oposto da murmuração é o agradecimento. A alma grata está farta de amor. Por isso, a melhor maneira de lidar com o murmurador é amando-o ultra circunstancialmente e sendo agradecido. Ele é escravo das suas próprias algemas emocionais. Precisa ser amado para libertar-se. O amor lança fora o medo, inclusive aquele que nos afugenta do contentamento. Portanto, ao murmurador deve-se o amor. Pague o mal com o bem sempre que possível e você imunizará o doente com a vacina do amor e da gratidão. O murmurador geralmente é arrogante. Os soberbos não têm lugar no coração de Deus. Lúcifer foi afastado de sua gloriosa presença por causa desse pecado (Ez 28:17). Deus resiste a soberba, mas dá graça aos humildes. Comumente, o murmurador tem a péssima mania de achar solução para todas as coisas. Considera-se perito em todos os assuntos. Valoriza mais ideias para ganhar dinheiro a própria opinião que a dos outros. E olha para as pessoas de cima para baixo. O murmurador comumente é ansioso. A ansiedade flagra nossa falta de confiança em Deus. Ela delata nossas percepções erradas e denuncia que as nossas expectativas não são as mesmas de Deus. Por isso, gera frustração. É inútil, pois nos leva a sofrer antes de as coisas ocorrerem; e depois também, quando acontecem. Faz-nos de bobo. Prega-nos uma peça. Alguém disse que “60% das coisas pelas quais ficamos ansiosos jamais acontecerão”. Não é estranho que pessoas murmuradoras estejam extremamente frustradas, depressivas e com baixa-estima. Ansiedade e murmuração são irmãs, pois ambas neutralizam nossa fé. A ansiedade mede o quanto não confiamos em Deus; a murmuração reflete o quanto estamos insatisfeitos com o que ele tem feito. A cultura da murmuração. Além de servir como o diagnostico de alguém insatisfeito, a murmuração é também um traço cultural. Não é apenas um hábito pessoal, mas coletivo. Depende do ambiente. Um padrão comportamental que tem como código de ética a constante insatisfação. Geralmente o ambiente da murmuração é extremamente carente de fé, sabedoria e do conhecimento das Escrituras. Em família, escolas, empresas, igrejas ou qualquer outro lugar de ajuntamento onde essas virtudes não sejam ensinadas, a murmuração encontrará solo fértil para crescer e se alastrar. É necessário neutralizá-la imediatamente, durante e depois. Esta conduta degenerativa para todos os grupos sociais desagrega igrejas inteiras e até famílias. Não basta não alimentar a tradição da murmuração, é preciso também atacá-la fervorosamente. Afinal, uma pessoa de fé, cheia de sabedoria e do conhecimento das Escrituras não será alvo fácil desse espinhoso costume. A murmuração não resolve nada e ainda piora as coisas. Ela reflete a distância a que as pessoas estão dos valores do Evangelho. É a insatisfação própria que gera o desejo de ajustar a vida criticando a dos outros. É parecida com a inveja, pois, de regra, surge eivada de comparações arrogantes. É como o sujeito que julga o político por ser político e não por ser corrupto, todavia almejaria estar no lugar dele – por considerar-se mais competente. Ou aquele que, por invejar a posição social de outrem o ataca com palavras depreciativas. Murmuração é veneno que se toma pensando que o outro vá morrer. É a fossa que cavamos para a nossa própria destruição. Definitivamente, vale a pena romper com o hábito de murmurar.

A Saber...

• Jesus Cristo é o verbo eterno que se fez carne e habitou entre nós. • Viveu uma vida santa, embora em tudo tenha sido tentado. • Foi crucificado sob Poncio Pilatos. • A sua morte nos reconciliou com o Pai. • Ressuscitou ao terceiro dia. • Foi recebido nos céus. • Deus deu-lhe um nome que é sobre todo o nome. • Voltará pra buscar o seu povo. • E para nos ajudar, nos deixou um consolador, O Espírito Santo que também é Deus e nos capacita para toda boa obra.

Este é um tempo sem pais

Vivemos em um momento da historia onde pais e mães não sabem como criar filhos, estes novos pais, deveriam ter recebido um discipulado de seus pais como nos relata o salmista Asafe no Sl.78:3.4, “ O que ouvimos e aprendemos, o que nossos pais nos têm contado, não o encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do Senhor, e o seu poder, e as maravilhas que ele tem feito.” Porem muitos desses que ouviram, não ouviram com seus ouvidos espirituais e portanto, nenhuma instrução foi compartilhada com seus filhos, e desta forma, milhares vem de lares quebrados, marcados pelo divorcio, ou são filhos de pais ausentes, alcoólatras, ou fazem parte de famílias disfuncionais. Esses jovens pais tem como pano de fundo um modelo inadequado de familia, e dessa forma nada tem para dar a geração que lhe sucederá. Em alguns casos encontramos avós que não sabem o seu lugar, não cortaram o cordão umbilical de seus filhos e vivem a interferir na educação de seus netos, quando poderiam ser uma benção de suporte e auxílio quando solicitados. Como criar filhos saudáveis e obedientes? Creio que esse é o grande desafio desta nova geração de papais e mamães. Necessitamos colocar os nossos olhos nas sagradas escrituras e com o nosso coração ouvir e abraçar a Palavra de Deus sobre esta importante questão, portanto vamos ao texto sagrado. Herança do Senhor Salmos 127:3 Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão. Os filhos que recebemos do nosso amado Senhor, não são um problema, são uma oportunidade dada por Deus, para um “momento especial” , “uma tarefa em casa”. Aqui a esposa é uma “Assessora Especial”, sem a ajuda de uma esposa sabia e sensata, a tarefa de educar as crianças, tornar-se-á mais difícil. O Pai é o responsável aqui, porém, frequentemente o pai empurra para a mamãe, tarefas que Deus deu ao homem, ao macho, aos pais (Ef.6:4 – pais aqui é pater). Que tremenda oportunidade nós como pais recebemos de exercer o discipulado primeiro em nossa casa e depois ate aos confins da terra. Como pais devemos aproveitar esses momentos especiais para demonstrar amor, graça, paciência, firmeza e segurança aos nossos filhos. Ensina a Criança Provérbios 22:6 Ensina a criança no caminho em que deve andar , e, ainda quando for velho , não se desviará dele. Treina a criança, instrui a criança, como? A idéia aqui e “colocar água na boca”, provocando na criança o desejo pela instrução. Abrace seu filho 12 vezes ao dia, fale de suas qualidades, tenha interesse em suas tarefas, descubra qual a linguagem de amor de seu filho, declare que você o ama e que ele é muito importante para você e para Deus. Pais procurem tornar Cristo conhecido de tal maneira que seus filhos queiram segui-lo. Porque será que mais de 70% dos freqüentadores da Rua Aurora em SP são filhos de pais “crentes”? Inculcar A idéia aqui no texto não é ouvir, mas, ouvir com o coração, da mesma forma como fizeram os irmãos de Tessalonica na Macedônia (1ª.Ts.2:13). Despertar na criança um ardente desejo de “mamar” no Senhor, assim como a criança tem um desejo natural de desejar os seios de sua mãe, a criança deve ser despertada para colocar sua vida no seio do Pai Celestial. Agora, a questão é como você como pai e mãe, treina seus filhos dia após dia? Criar filhos é um treinamento que oferecemos a essa herança que Deus colocou em nossas mãos e também é um tempo onde o nosso Pai Celeste, treina a nossa vida, para gerar em nós os frutos do Espírito de Gálatas 5:19.21. Os filhos de Pais incoerentes e hipócritas, isto é; pais que são atores na vida crista, não vivem o que falam e o que falam esta divorciado do que vivem, esses filhos experimentarão: Depressão Melancolia Será crente de fachada Desenvolvera a tendência de andar com Xiitas ou liberais Pode ser tornar muçulmano Pais – HOMENS Que privilégio que nosso Pai do Céu deu a nós homens a responsabilidade da disciplina (paidéia) de nossos filhos, não e para mamães a tarefa, mas para os Papais. A palavra aqui para disciplina é paidéia, que nos da a idéia de “treinamento” . Neste ponto e muito importante que Papai e Mamãe sejam muito firmes independente de quem esta vendo, quem esta por perto, no ambiente onde estamos. Firmeza faz parte do caráter de nosso Senhor, o apostolo João nos diz que nosso Senhor Jesus era cheio de graça e verdade, graça tem a ver com sublimidade e verdade tem a ver com firmeza. Em outras ocasiões nos encontramos nosso Senhor sendo firme, Isaias nos diz:”...fim o meu rosto como o seixo...”, como a rocha, um rosto firme, isso é caráter. Quando pais são incoerentes na disciplina, o pai corrige e mãe protege, discorda; a criança fica indecisa e vai crescer com pouco discernimento da vida. É muito importante que pai e mãe tenham unidade nas disciplinas e correções da criança, lembrando que disciplina é diferente de castigo, disciplina segundo Deus, tem padrão, é coerente. Manter Quente Criar filhos é também criar uma atmosfera onde as crianças sintam-se aquecidas em meio aos invernos da vida e refrigeradas em meio as situações de pressão e crise. Nosso irmão apostolo Paulo, escreve aos Tessalonicenses como mamãe (ama) que acaricia, que aquece, que mantém quente, os próprios filhos. 1 Ts 2:7 “...antes nos fizemos brandos no meio de vós, como a mãe que acaricia seus filhos...” Que bendita e alegre tarefa o Deus Eterno nos deu, a mim pessoalmente ele deu quatro filhas, criei-as com alegria e expectativa, oração e temor a Deus, valeu a pena, hoje posso vê-las comprometidas com o evangelho, buscando conhecer a vontade de Deus para a suas vidas. Deus é bom, muito bom. Queridos pais, papai e mamãe, não desanimem em meio as lutas e dificuldades para investir nos pequeninos que Deus colocou aos vossos cuidados, caminhem pela fé (Cl.2:6), confiem em Deus e dependam dele, pois o que ele prometeu “ate quando for velho não se desviara” (Pv.22:6), Ele há de cumprir, e o que Ele falou é certo que fará. Deus nunca erra. Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá? (Nm. 23:19) Postado por Josue Martin