sábado, 26 de dezembro de 2015

A BIBLIA SAGRADA

A Palavra Biblia vem do grego e significa “rolo pequeno de papiro”. E uma pequena biblioteca composta de 66 livros, 39 no Velho Testamento e 27 no Novo Testamento. Contem 1.189 versiculos e foi escrita por cerca de quarenta homens que foram inspirados por Deus. Na Biblia, encontramos a revelacao de Deus para a nossa vida, mostrando que Jesus e o Filho Unico Deus e tambem o unico caminho para o Ceu. Nela contem historias maravilhosas sobre Deus, Jesus e muitas pessoas importante que fizeram da Palavra de Deus seu modo de viver. Tambem, encontramos pessoas que sofreram muito e ate morreram para que esta Palavra Viva chegasse ate nos, como Paulo, Pedro, Joao dentre outros. Se voce ainda nao conhece a Biblia, busque conhecer, ela nao e um livro que possui apenas palavras escritas, mas e um livro espiritual e que se torna real a partir do momento que a lemos e tomamos posse daquilo que a Biblia diz. LIVROS DO ANTIGO TESTAMENTO 1.PENTATEUCO Os cinco primeiros livros da Biblia sao chamados de Pentateuco. Para os judeus, esses livros sao chamados de Tora. Neles encontramos desde a criacao do mundo ate a Lei de Deus dada por Moises ao povo de Israel. Genesis - Exodo - Levitico - Numeros - Deuteronomio 2. LIVROS HISTORICOS Os livros historicos narram a historia do povo de Israel na conquista da palestina, a terra prometida. Historias de grandes Reis como Davi e Salomao, as guerras entre o povo israelita e os povos inimigos de Deus, entre outros. Josue - Juizes - I Samuel - II Samuel - I Reis - II Reis - I Cronicas - II Cronicas - Esdras - Neemias - Ester 3. LIVROS POETICOS O termo poetico e devido ao genero desses livros. Trazem muitos ensinamentos e esperanca. Jo - Salmos - Proverbios - Eclesiastes - Cantares de Salomao 4. LIVROS PROFETICOS Ha uma divisao dos livros profeticos em profetas maiores e profetas menores. Esta divisao e feita com base no tamanho da obra e nao na relevancia ou importancia deles. 4.1.PROFETAS MAIORES Isaias - Jeremias - Lamentacoes - Ezequiel - Daniel 4.2. PROFETAS MENORES Oseias - Joel - Amos - Obadias - Jonas - Miqueias - Naum - Habacuque - Sofonias - Ageu - Zacarias - Malaquias LIVROS DO NOVO TESTAMENTO 1. OS EVANGELHOS Os quatros evangelhos foram escritos e destinado a um povo especifico, levando em conta o conhecimento que cada povo tinha de Deus ou de Jesus Cristo. Mateus - para os judeus e mostra que Jesus era o messias enviado por Deus. Marcos - para os romanos e apresenta Jesus como servo. Lucas - para os gentios e mostra Jesus como o Salvador. Joao - para a igreja e mostra que Jesus e o filho de Deus. 2. O LIVRO HISTORICO Atos dos Apostolos O livro de Atos e um relato do inicio da igreja de Jesus Cristo na terra. 3. CARTAS PAULINAS As cartas de Paulo sao ensinamentos valiosissimos para a igreja atual. Nela encontramos um vasto ensino sobre a salvacao, o papel da igreja e nao poucas vezes exortacoes sobre como ter uma vida santa perante Deus. Romanos - I Corintios - II Corintios - Galatas - Efesios - Filipenses - Colossenses - I Tessalonicenses - II Tessalonicenses - I Timoteo - II Timoteo - Tito - Filemom 4. CARTAS GERAIS Com excecao de Hebreus, que alguns acreditam ter sido escrita tambem por Paulo, essas cartas tem como autores alguns Apostolos de Jesus: Pedro, Joao, Tiago e Judas. Hebreus - Tiago - I Pedro - II Pedro - I Joao - II Joao - III Joao - Judas 5. LIVRO PROFETICO Apocalipse e o ultimo livro da Biblia e foi escrito por Joao. E um livro de dificil compreensao, mas de uma importancia enorme, ja que mostra como sera o final dos tempos, o julgamento de todas as nacoes, a salvacao dos justos e a condenacao dos pecadores. Apocalipse SITE; ministeriokidsteens.com.br

domingo, 26 de julho de 2015

A-E-I-O-U do evangelista de crianças

A-E-I-O-U do evangelista de crianças Este artigo tem o objetivo de despertar, incentivar, mostrar aos missionários a necessidade de cumprir o imperativo divino, encontrado em João 21.15: “Apascenta meus cordeiros...” ... cedido pela comunidade " Departamento Infantil" do Orkut! Segundo o Dicionário Aurélio, Á - É - I - Ó - U, é a substantivação de a, e, i, o, u com que se designam as primeiras letras ou rudimentos de uma matéria. Você se recorda de como veio a aprender a ler e escrever? Lembra quantas vezes escreveu as vogais em seu primeiro caderno? Para deixar de ser analfabeto é necessário dominar, em primeiro lugar, os rudimentos da gramática, e, infelizmente, quantos ainda vivem em absoluta ignorância! No trabalho com as crianças existe, também, muita ignorância por não se conhecer as noções básicas para se obter resultados satisfatórios e eternos. Há muitos que são ANALFABETOS em trabalhos com crianças, fazendo tudo de maneira apenas superficial e sem qualidade. Deseja conhecer mais e dominar esta matéria? Então escreva em sua mente e coração, até gravar bem, o Á-É-I-Ó-U do trabalho com crianças. A - AMOR “Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: APASCENTA OS MEUS CORDEIROS” (Jo 21.15) Pedro que negara ao Senhor três vezes é questionado três vezes pelo Senhor: “Amas-me” e só ao responder: “Tu sabes que te amo” é que recebe a missão de apascentar, pastorear, tanto cordeiros como ovelhas. Interessante neste texto é Jesus utilizar a palavra “cordeiro” que identifica os pequeninos de um rebanho de ovelhas, o que nos faz pensar que, também, as crianças precisam de cuidado pastoral. Sim, as crianças precisam ser apascentadas e não pajeadas. Muitos trabalhos com crianças se resumem apenas em tomar conta dos pequenos para que não atrapalhem os adultos responsáveis por elas. E - ESPERANÇA “Que virá a ser, pois, este menino? (Lucas 1.66) Quando estas palavras foram pronunciadas, por ocasião do nascimento de João Batista, o seu pai, Zacarias, tinha uma profunda convicção e esperança, chegando a afirmar: “Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo” (Lucas 1.76). No Velho Testamento, no Salmo 78 versos 1 a 8, fica bem claro que ao falarmos às futuras gerações sobre o Senhor e a maravilha de seu Amor e sua Salvação, estas crianças confiarão ao Senhor e serão obedientes à sua vontade, escapando de virem a ser uma geração rebelde e infiel. O trabalho com as crianças exige que se olhe para o futuro com a esperança que elas não serão escravas de Satanás, mas serão servos fiéis; que elas não estarão perdidas, mas salvas eternamente; pois, semearemos em seus corações a preciosa Palavra do Senhor que tem a garantia de não voltar para Ele vazia. Não haverá ministério eficaz com as crianças sem esta esperança de que veremos os frutos de nosso trabalho, para a glória de Deus. I - INVESTIMENTO Então lhe disse a filha de Faraó: Leva este menino, e cria-o; pagar-te-ei o teu salário. A mulher tomou o menino, e o criou (Ex 2.9). Quanto custa formar uma criança? Sem dúvida trabalhar com os pequeninos exige gastos, exige investimentos. Investimentos não só de dinheiro, de material, mas também de tempo. Quanto trabalho com crianças é feito na base de improvisação e pode-se afirmar seguramente que é para as atividades que envolvem as crianças que nunca se conseguem as verbas necessárias. Embora se saiba que o trabalho com as crianças produz mais resultados do que o trabalho com jovens e adultos, chegando alguns a afirmar que dá um retorno de 90% contra 10%, investe-se apenas 10% nas crianças, quando se investe. Não haverá ministério eficaz com as crianças sem assumir os devidos custos: a) custos para melhor preparo de aulas; b) custos para ter-se melhores materiais didáticos; c) custos para se transmitir melhor o ensino da Palavra de Deus às crianças; O - ORAÇÃO Levante-te, clama de noite no princípio das vigílias; derrama o teu coração como água perante o Senhor; levante a Ele as tuas mãos, pela vida de teus filhinhos, que desfalecem de fome à entrada de todas as ruas (Lm 2.19). Diante de um quadro terrível, quando o povo estava sendo levado para o cativeiro, levanta-se este desafio do profeta Jeremias: “Clama ao Senhor pela vida de teus filhinhos”. Mais do que nunca há necessidade de oração em favor das crianças. Nada poderá ser alcançado senão através da oração. Aquele que trabalha com as crianças precisa aprender o segredo da oração por si mesmo, pelo seu preparo, que sua vida seja um exemplo e pala salvação das crianças e seu crescimento espiritual. É imperioso reconhecer a verdade daquela afirmação de Agostinho: “É mais importante falar de Deus acerca das crianças, do que falar às crianças acerca de Deus!”. Não haverá ministério eficaz com as crianças sem a prática da oração. U - URGÊNCIA “Assim, pois, não é da vontade de vosso Pai Celeste que pereça um só destes pequeninos” (Mt 18.14). É urgente ganhar as crianças para Cristo. Enquanto crianças elas são mais suscetíveis de serem evangelizadas, de reconhecerem seu pecado, de crerem na pessoa e obra de Jesus. A medida que vão crescendo, que vão se adultizando, vão também endurecendo os seus corações e ficando cada vez mais marcadas pelos pecados. Tem sido comprovado que os 85% dos que são cristãos, tomam esta importante decisão entre 15 e 30 anos; 4% após os 30 anos e 1% de 1 a 4 anos. Esta estatística nos mostra como é urgente ganhar as crianças. Infelizmente muitos não crêem na evangelização das crianças e protelam a comunicação da mensagem. Quantas crianças acabam sendo igrejadas e não evangelizadas! Quem trabalha com as crianças deve ter como prioridade conduzí-las à salvação em Cristo, pois esta é a vontade de Deus. Não haverá ministério eficaz com as crianças sem este sentimento de urgência quanto ganhá-las para Jesus. Sim! Eis aí o Á-É-I-Ó-U do trabalho com as crianças, salva-las depende também Autora: Zélia M. R. da Paz

terça-feira, 7 de julho de 2015

MILHO DE PIPOCA

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre. Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e de uma dureza assombrosas. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é melhor. Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, um filho, o pai, a mãe, o emprego ou ficar pobre. Pode ser o fogo de dentro: pânico, medo, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo! Sem fogo, o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também. Imagino que a pobre pipoca, dentro da panela fechada, cada vez mais quente, pense que chegou a sua hora: vai morrer. Dentro da sua casca dura, fechada em si mesma, não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo do que é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: BUM! E ela aparece como outra coisa completamente diferente, algo que nunca havia sonhado. Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, recusam-se a mudar. A presunção e o medo são a casa dura do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria a ninguém. Autor: Rubem Alves.

terça-feira, 24 de março de 2015

A corrida dos sapinhos

A CORRIDA DOS SAPINHOS “…graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo…” – I Coríntios 15:57 Introdução: Já se sentiu chateado quando as pessoas dizem que você é feio, gordinho, imprestável, atrapalhado, desengonçado, inútil, burro…? Como você reage diante dessas ofensas? Fica triste? Desapontado? Vamos ver em nossa história de hoje, como devemos reagir diante das palavras de desânimo…
FIGURA 1 Tudo ia bem lá na floresta, quando junto ao pântano, onde habitavam muitos sapos, o repórter da REDE SAPO DE TELEVISÃO anunciou um grande evento que seria promovido com os sapos do pântano. Seria uma corrida! E o vencedor ganharia uma passagem para conhecer os lagos e pântanos da Europa… que prêmio fabuloso, mas… que corrida seria essa? Todos os sapos ficaram curiosos para saber o trajeto… Para manter o suspense, o repórter convocou todos os interessados para que se apresentassem junto a “Grande Pedra Assustadora”!!!
FIGURA 2 O quê!!!!???? A Grande Pedra Assustadora??? Todos os sapos e animais da floresta temiam aquela pedra pois corria entre toda a população dos animais que muitos já haviam morrido ao tentar se aproximar dela… Não havia nada comprovado, mas todos tinham medo… Já passou por uma situação de medo? O que você faz para enfrentar o medo? (dê exemplos de situações que podem gerar medo) Não desista! Deus quer que você confie Nele e acredite que Ele pode te dar a vitória! Nosso versículo diz que nós podemos ter vitória… vitória sobre o nosso MEDO!!! Por isso hoje somos desafiados a vencermos essas situações de medo. Não desista! Deus quer que você confie Nele e acredite que Ele pode te dar a vitória! Mas os animais temiam só de pensar em chegar perto da Grande Pedra Assustadora, mas motivados pelo prêmio todos estavam lá na hora marcada. Todos os animais da floresta se reuniram, não somente os sapos, porque estavam curiosos para saber como seria esta corrida. Imediatamente o repórter passou a dar as regras: a corrida seria aberta aos sapos, e o primeiro que alcançasse o alto da Grande Pedra Assustadora seria o vencedor! O quê? Subir no alto da Pedra? Eles tinham medo de chegar perto, quanto mais subir nela! Muitos começaram a desistir e outros começaram a espalhar o medo! Ninguém queria subir na Grande Pedra Assustadora.
FIGURA 3 Sabe crianças a Bíblia nos diz sobre alguém que um dia subiu no alto de uma pedra, de um monte chamado “Gólgota” que significa “Caveira”. Era um lugar assustador, mas Jesus, o Perfeito Filho de Deus, não teve medo de subir lá e ser morto em uma cruz. Muitos diziam para ele desistir da idéia, mas Ele foi até o fim porque Ele nos ama. (apresente de forma resumida o plano de salvação para alcançarmos as crianças que não são salvas) Jesus não teve medo, Ele foi até o fim… E os sapos será que iriam topar esse grande desafio?
FIGURA 4 Muitos sapos se inscreveram e resolveram enfrentar o medo para subir na Grande Pedra Assustadora! Eles acreditavam que podiam ganhar o prêmio! Enfrentaram os crocodilos para poderem chegar na pedra e quando começaram a pular perceberam que a pedra era muito escorregadia. Cada pulo que eles davam para escalar a pedra trazia eles de volta até a água e tinham que enfrentar mais uma vez os crocodilos. Muitos sapos começaram a se cansar e ficavam mais apavorados quando ouviam os outros animais dizendo para eles desistirem.
FIGURA 5 De fato, muitos sapos deram ouvidos às palavras de desânimo e não acreditando que fossem conseguir foram desistindo. È isso que acontece conosco várias vezes. Damos ouvidos às palavras de desânimo que dizem para nós: Você é um burro! Você não vai conseguir! Não desista! Deus quer que você confie Nele e acredite que Ele pode te dar a vitória! A té dentro de nossa casa! Muitas vezes é nosso pai ou nossa mãe que diz que somos imprestáveis. Ou o amigo da escola que diz que somos gordos! (dê outros exemplos de palavras que podem desmotivar) Não desista! Deus quer que você confie Nele e acredite que Ele pode te dar a vitória! Não permita que essas palavras tirem de você o ânimo para vencer. Lembre-se de nosso versículo: “…graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo…”
FIGURA 6 Mas enfim, só restava um sapinho que não deu ouvidos às palavras de desânimo, que venceu o medo e continuava firme, quase pronto a chegar no alto da Grande Pedra Assustadora! Será que ele vai conseguir? Os outros sapos que desistiram e estavam com inveja dele torciam para ele escorregar e cair! Mas, os outros animais que perceberam a sua coragem e começaram a incentivá-lo e torcerem para que ele alcançasse o prêmio. Ele estava a um salto da vitória… Será que ele vai escorregar? Será que ele vai conseguir?
FIGURA 7 Viva!!!! Ele conseguiu!!!! Ele venceu!!! Ele chegou no alto da Grande Pedra Assustadora!!!! Todos queriam saber dele qual era o segredo da vitória! Como será que ele conseguiu vencer todos os obstáculos? Todos ansiosamente aguardavam ele no seu retorno para a entrevista coletiva que ele daria para a REDE SAPO DE TELEVISÃO!!! A festa era grande na floresta!! Até mesmo os outros sapos tiveram que se render à coragem e ousadia do grande campeão!
FIGURA 8 Lá estava ele, o nosso herói! Todos animais reunidos e o grande repórter se aproxima do nosso amigo campeão e lhe pergunta: Qual o segredo da vitória? Todos fazem silêncio para ouvir a resposta do sapo que para surpresa de todos não responde nada! Novamente o repórter pergunta a ele qual era o segredo da vitória. Diante do silêncio do sapo, todos percebem, quando a mãe do campeão diz em alta voz:
FIGURA 9 Não adianta perguntar nada para ele porque ele é SURDO e não escuta nada! Este era o segredo, enquanto todos gritavam palavras de desânimo ele continuava firme no seu propósito. Enquanto todos gritavam para ele desistir, ele não escutava nada e continuava em seu objetivo. Conclusão: Precisamos nos fazer de surdos para as palavras de desânimo e medo que dizem para nós DESAFIO PARA A CRIANÇA SALVA Durante esta semana , se alguém quiser te deixar triste dizendo palavras de desânimo, lembre-se do sapinho: Fique surdo! Não desista! Deus quer que você confie Nele e acredite que Ele pode te dar a vitória! Não deixe que estas palavras te desanimem. Se alguém ou alguma coisa quiser te assustar e fazer você desistir do seu objetivo, não se esqueça de nosso amigo sapo: Faça-se de surdo! Se alguém quiser oferecer-te drogas ou te chamar para fazer o que é errado; faça-se de surdo! Não desista! Deus quer que você confie Nele e acredite que Ele pode te dar a vitória! Não escute estas palavras de desânimo. APELO PARA NÃO SALVOS Se você ainda não recebeu Jesus como seu salvador, saiba que Jesus não teve medo e nem desistiu diante da morte. Ele foi até o fim! Ele quer te salvar. Ele não quer que você continue perdido. Faça igual ao sapinho… Dê o último pulo para a vitória… aceite Jesus! Esboço Adaptado por Joel Barbosa DESENHOS SEMENTINHA KIDS, PASTORA GABRIELA PACHE DE FIÚZA

O Evangelismo de Crianças

inalidades: Salvação, Crescimento e Serviço O PROFESSOR - Evangelista de Criança ● Necessidade Básica - experiência clara de salvação e certeza da salvação. ● Características de um Bom Professor: a. Dedicado e chamado por Deus. b. Ama e compreende as crianças. c. Tem visão da necessidade de ganhar as crianças para Cristo. d. Tem senso de responsabilidade: não falta, é pontual. e. Separa tempo para a preparação de sua aula. f. Vive uma vida Cristocêntrica. g. Dá bom exemplo em sua vida diária. h. Depende da oração, do Espírito e da Palavra de Deus. i. Não desanima facilmente. j. Está pronto a ouvir as sugestões e idéias de outros. l. Espera resultados na vida de seus alunos. COMO LEVAR UMA CRIANÇA A CRISTO Métodos: Deve ser falado sobre o Plano de Salvação a toda criança que não recebeu a Jesus ainda. Mesmo depois da conversão a criança deve estar sempre ouvindo sobre o Plano de Salvação (de preferência que em todo estudo se introduza alguns deles, ou todos se for possível). Mensagem do Plano de Salvação: 1- Deus é Criador, Santo, Justo e Amor. Jo 3:16 2- Jesus, o único e perfeito Filho de Deus. Rm 5:8 3- Todos somos pecadores. Rm 3:23 4- Jesus morreu em nosso lugar, derramando seu sangue por nós. 1Co 15:3 5- O Salvador ressurreto e exaltado.1Co 15:4 6- A salvação é um presente que precisa ser recebido. Rm 6:23 Pode ser mostrado como abaixo ou também como o Espírito Santo te tocar: Há cinco degraus que nos conduzem à salvação. É necessário subí-los se quisermos ser salvos: 1- Sou pecador - Rom.3:23 "Todos pecaram e carecem da glória de Deus." 2- Deus me ama - Jo 3:16 "Deus amou tanto o mundo, que deu o Seu único Filho, para que todo aquele que nele crê não morra, mas tenha a vida eterna“. 3- Cristo morreu por mim - 1Co 15:3 "Cristo morreu pelos nossos pecados... foi sepultado e ressuscitou..." 4- Eu aceito Jesus - Jo 1:12 "A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome." 5- Tenho a vida eterna - Jo 11:25 "Quem crê em mim, ainda que morra, viverá." O CONVITE PARA A SALVAÇÃO Chamado também de apelo, consiste em se dar oportunidade a criança de se apropriar do Presente da Salvação (ítem 5 acima). O Espírito Santo age na vida da criança, operando o novo nascimento. O convite para a criança receber o Salvador, seguido de uma ação visível, é o elo para se identificar àquela que está interessada e precisa de ajuda. Não deve ser algo que emocione, assuste, pressione ou persuada a criança. O apelo possui algumas características que devem ser observadas: ● Deve ser claro, curto, pessoal, bíblico e positivo. Deve ser compreensível à criança e coerente com o fato da história e os demais pontos da Mensagem da Salvação. ● Deve ser num ambiente em que esteja tudo calmo e organizado, para que não haja interrupções. ● Deve haver uma manifestação visível por parte da criança, com gesto ou palavra. LIÇÃO BÍBLICA A Lição Bíblica é o conjunto de fatos bíblicos aplicados à vida do aluno, ensinamentos que motivem à mudança de comportamento. Cada aluno tem uma necessidade específica e a lição bíblica deve oferecer ensinamentos espirituais que o atinjam individualmente. Por isso, o conteúdo da lição deve atingir os dois tipos de alunos que freqüentam a classe: os salvos e os não-salvos. LEIS QUE REGEM O ENSINO 1- Lei do Desenvolvimento - é a ordem lógica no aprendizado, quando há tempo para tudo. Por ex: um bebê recebe leite, papinha e sucos, para depois chegar à comida sólida; a criança precisa conhecer os números, aprender a somar para dominar depois a multiplicação. Assim também na vida cristã, é preciso aprender primeiro a Mensagem da Salvação, levando a criança a receber o Salvador, para depois dar-lhe a segurança e encaminhá-la no andar com Cristo. 2- Lei do Exercício - é aprender fazendo; colocar em prática o ensino, sempre que possível. Por ex: se na aula foi mencionado o ensino sobre a oração, planeje um tempo extra para as crianças se reunirem para orações específicas. 3- Lei do Efeito - é a satisfação em aprender; o ensino apresentado de forma agradável que proporciona prazer em repeti-lo. Por ex: se a lição proporcionou o desafio de falar de Cristo para um coleguinha e a criança ao fazê-lo foi ridicularizada, cabe ao professor evitar o desânimo, elogiando seu esforço e estimulando-a a tentar novamente. A lição bíblica deve conter verdades que levem o aluno não salvo a conhecer o Salvador e orientem também o salvo, na vida cristã. PREPARAÇÃO E APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO Para uma boa preparação da lição devemos separar tempo para estudá-la e orarmos por nós mesmos. Orar para que o Espírito Santo nos torne sensíveis aos ensinamentos contidos na lição a ser estudada. E se for uma passagem já conhecida, que Ele a renove para nós. Lembre-se de que Ele é o Autor do Livro e conhece nossas necessidades bem como as de nossos alunos. Devemos preparar toda a lição a ser apresentada, assim como materiais que utilizaremos. Ex.: flanelógrafo, cartazes com cenários para a lição, cadernos ilustrados, etc. Orar por você, pela lição em si e pelos seus alunos.

para liderança infantil

O PONTO DE PARTIDA É ESTABELECIDO POR DEUS Os princípios bíblicos são verdades irrefutáveis da Palavra de Deus. Estão presentes na nossa vida e se cumprem ainda que não os conheçamos. São sementes de verdade e conhecimento. Sua aplicação é universal e não está sujeita ao espaço e ao tempo. Em Gênesis 1:1 lemos que: "No princípio criou Deus os céus e a terra." Noah Webster define a palavra princípio como: "a causa, a fonte ou a origem de qualquer coisa; de onde as cousas procedem". No momento em que Deus criou os céus e a terra se estabeleceu o seguinte: A origem de todas as coisas e todo o conhecimento científico está concentrado na criação. Romanos 1:19-25; Salmo 19:1-6; Colossenses 1:16; 2:2-10; Provérbios 8:22-30. Deus expressa sua natureza em tudo o que Ele criou, o selo do criador está na criação. O universo é regulado mediante leis invisíveis e algumas delas mais tarde se manifestam de forma visível por meio de expressões simbólicas através da química, da física, da matemática. Colossenses 1:16 A estrutura da terra e seu meio ambiente foram projetados para o início e desenvolvimento dos seres vivos. O reino mineral, o reino vegetal e o reino animal. Os ecossistemas, suas ligações e processos estão cuidadosamente ordenados para funcionar harmoniosamente por si mesmos. A criação revela a sabedoria, a inteligência e o conhecimento superior de seu criador. Os princípios bíblicos que são uma expressão da natureza de Deus, estão presentes na criação como verdades fundamentais que vão cumprir-se tal como as leis invisíveis regulam os fenômenos naturais e os fenômenos sobrenaturais. Paulo afirma que Cristo estava no momento da criação e ali Deus colocou um segredo relacionado com Cristo. Tudo foi criado por Cristo. Tudo que foi criado subsiste por Cristo. Cristo é a expressão visível de Deus. Conhecê-Lo é encontrar a fonte de todo o conhecimento, de toda inteligência e sabedoria. Paulo afirma que todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão em Cristo e que sua meta é apresentar todo homem aperfeiçoado em Cristo. A única forma de fazê-lo é descobrindo os traços de caráter da pessoa de Cristo, descobrindo sua identidade, descobrindo a verdade que há Nele e ao fazê-lo, o homem encontra sentido global em sua vida em relação à criação, em relação ao conhecimento, às ciências e às artes, em relação às demais pessoas, em relação com suas origens como indivíduo e como nação. O SIGNIFICADO DE INTEGRAR OS PRINCÍPIOS DE CARÁTER À ESCOLA CRISTÃ Quando o cenário da criação estava terminado, com seus ciclos de auto manutenção, auto sustentação e em perfeito estado, Deus cria o homem e lhe delega autoridade para que governe, subjugue e domine a criação. O homem começa a descobrir, a relacionar, a classificar, a nomear, a diferenciar, a analisar, a representar, a inter-relacionar tudo o que foi criado com os padrões de pensamento de Deus. É assim que chegamos ao ponto de realmente poder descrever os princípios bíblicos como expressão da mente de Deus colocada na mente do homem. Com a perda do relacionamento com Deus, o homem perde também a capacidade de conectar-se com os padrões de pensamento de Deus para poder cumprir o mandato de subjugar e dominar a criação. O homem formula suas próprias idéias, procura interpretar sua existência e a de todas as coisas, criando um profundo vazio entre a criação, a sabedoria, o conhecimento e o criador. Falar de integrar os princípios de caráter na escola é uma tarefa que pode representar-se da seguinte forma: Integrar é recuperar, voltar a, restaurar algo perdido, reclassificar as peças soltas e colocá-las na ordem devida, segundo Noah Webster. Daí então tem sentido a função do lar e da escola cristã, ao responderem ao seu chamado de participar da restauração de todas as coisas. É descobrir Cristo e suas verdades sob a criação e apresentá-las harmoniosamente aos alunos, para trazê-las a suas mentes e seus corações, dando a conhecer o segredo de Deus que está em tudo o que foi criado. Não é incorporar um curso de educação cristã, é viver o curso da educação cristã. É colocar intencionalmente e sistematicamente os padrões de pensamento de Deus em forma de pequenas sementes, que ao inter-relacionar-se com o espírito da criança e com o Espírito Santo germinam e vão crescendo para produzir frutos que se traduzem em ações de conduta, para que os homens, vendo nossas boas obras, glorifiquem a Deus. INTEGRANDO OS PRINCÍPIOS DE CARÁTER À EQUIPE. Daniel 12:3 O chamado do mestre. A Identidade do mestre. O coração do mestre. A mente do mestre. A apresentação do mestre. A representatividade da autoridade delegada. A recompensa do mestre. A preparação do mestre. O novo perfil do mestre cristão que raciocina com os padrões de pensamento de Deus. Referências bíblicas: I Cor. 5:17; Atos 17:28; Ef. 1:4-6; II Cor. 5:21; II Pedro 1:3,4; I Cor. 1:26-30; II Tim. 1:9; II Tes. 1:11; Heb. 3:1,2; II Pedro 1:5-10; Ef. 1:17-23; I Tim. 1:5; I Reis 8:36; II Crônicas 17:7-9; Atos 22:3; Gálatas 4:1,2; João 15:5; Tiago 3:1; Mateus 18:3-6; 5:19; 25:21; Salmo 28:8; I João 2:27. INTEGRANDO OS PRINCÍPIOS DE CARÁTER AO CURRÍCULO O que significa o currículo: uma pista de corrida (as disciplinas ou matérias expressadas em um plano geral de estudos), o caminho estreito e o caminho largo (os objetivos, as atividades de aprendizagem e a gradação), como correr a corrida com paciência (a metodologia, as técnicas, os recursos didáticos), como chegar à meta com a tocha vitoriosa na mão (a avaliação e a análise dos resultados). Os princípios bíblicos: são como uma bússola, os valores cristãos são o mapa, os traços de caráter que se ensinam são as sinalizações que devem ser respeitadas na estrada e os que se integram à vida de cada indivíduo passam a ser parte do motor que impulsiona a viver a geração piedosa que Deus está formando para transformar nossas nações. Referencias Bíblicas: Heb 11,12; Col. 2:1-8; 1:15-16; Rom. 11:36; I Cor. 3:11; Mat 13:33; 12:35; Prov. 27:17-19; Atos 17:2 -12; Isaías 1:16-20; Efésios 3:14-19; Mat 16:13-18; Fil.1:1-10; Rom. 10:17; Mat 7:29. Deut 6, Gên 6-10. José Castellanos Maldonado

Criando filhos em pé de igualdade

Respeitar a individualidade e a personalidade de seus filhos é fundamental para o relacionamento bem-sucedido entre irmãos. Há um ditado popular que diz que ser mãe é "padecer no paraíso", ao que um amigo acrescentou: "padecer no paraíso, fibra por fibra". Portanto, o relacionamento familiar bem-sucedido se inicia com a consciência de que ter filhos significa lutar (Salmo 127.4), seguir uma carreira, realizar um trabalho com dignidade, amor e prazer, pela vida afora. Os pais devem demonstrar seu zelo na vida diária de modo prático, oferecendo elementos básicos para a subsistência - alimento, roupa, abrigo, lazer, amor, afeto e qualidade de tempo - distribuídos diariamente e ao longo dos anos. Os pais devem concentrar suas energias e esforços para criar cada um de seus filhos no temor do Senhor, ensinando-os diariamente a amar a Deus e conduzindo-os à Salvação. O comentarista da Bíblia de Estudo Pentecostal aborda no estudo Pais e filhos alguns pontos essenciais que corroboram para o sucesso no relacionamento familiar: Os pais devem ser exemplos de vida e conduta cristã e se importar mais com a salvação dos filhos do que com seu emprego, profissão, trabalho na igreja ou posição social (Salmo 127.3). A essência da educação cristã dos filhos consiste nos pais se voltarem para o coração dos filhos a fim de levá-los ao coração do Salvador. Levar os filhos diante de Deus em intercessão constante e fervorosa (Efésios 6.18 e Tiago 5.16-18). Ter amor e desvelo pelos filhos de modo que estejam dispostos a consumir suas vidas como um sacrifício ao Senhor. Essas diretrizes são de suma importância na condução dos filhos, pois quando se direciona a criança verticalmente (voltada para Deus), se torna fácil o relacionamento horizontal com seus irmãos, pais, amigos etc. Ana foi uma mulher exemplar no tocante a aprender que os filhos são dádivas do Senhor (Salmo 127.3). Esse conhecimento influenciou no modo de educar seus filhos. Ana entregou Samuel ao Senhor sem superproteção materna, com agradecimento pela bênção que recebera por ter sido agraciada com "uma herança do Senhor". Sua soberania, fé e obediência agradaram tanto ao Senhor que Ele a agraciou com mais cinco filhos (1 Samuel 2.21). O Senhor sabia que ela e Elcana os criariam bem, por isso encheu-lhes a "aljava" (Salmo 127.3-5). "Os filhos são como flechas na mão do valente", Salmo 127.4. Cada flecha é única. Portanto, cada filho é único. Segundo Içami Tiba, psiquiatra e psicodramatista, "o grande sonho dos pais é que os filhos sejam felizes e unidos como unha a carne". Por isso, acreditam que se os criarem iguais, eles serão bem-sucedidos no relacionamento. Ledo engano, pois aí sim é que se instala a rivalidade entre irmãos, as disputas pela igualdade de condições e, até mesmo, a anulação da personalidade a ser desenvolvida. Cada flecha é única. Tem que ser lapidada e bem afiada para que o alvo seja atingido. Para cada flecha há uma determinada direção. Embora seja sempre para frente, para um determinado alvo, o modo como esse ponto é atingido é único. Assim, cada filho tem um temperamento, que lhe é peculiar, e características distintas que devem ser observadas, avaliadas e incentivadas. Se um filho não se importa com roupas e calçados, mas, sim, com leitura e música, o seu incentivo deve ser nessa área. Embora os pais o supram no vestuário, devem lhe dar maior atenção na compra de bons livros, no incentivo à aprendizagem de algum instrumento musical, adequando assim suas necessidades. Se o outro filho tem tendências a um guarda-roupa cheio, talvez seja importante lhe ensinar a comprar com qualidade e economia. De qualquer forma, o incentivo é diferente. Em ambos os casos, a motivação deve ser a mesma e direcionada à busca do equilíbrio (sem exageros e administrando a preferência). Cada filho, portanto, deve ser tratado como único, de forma individual, não comparativa. Evite comparações Isso é compreensível para o bom andamento do lar. A comparação é complicada. Sempre um sai ganhando e outro perdendo, principalmente quando não há ensino a respeito. Os elogios são bem-vindos desde que não se constranja os demais: "não sei porque este é tão abençoado e aquele 'tribuloso'". Filho nenhum é "tribuloso". A criança ou o jovem pode estar com problemas, e não ser um problema. Isso deve ser avaliado de forma única pelos pais, para que tomem a decisão certa para auxiliá-lo. Às vezes, os pais instigam os filhos à rivalidade e disputa com suas comparações que geralmente têm origem no seu background. Veja o exemplo de Jacó e Esaú. Provavelmente Rebeca se ressentia da ênfase que se dava à primogenitura, da preferência de Isaque por Esaú, que era um caçador (Gênesis 25.28). Da mesma forma, Isaque se identificava com Esaú, pois foi através da caça de um cordeiro que Deus providenciara a Abraão que ele foi salvo da morte de sacrifício. O preferencialismo instalado nessa família gerou conflitos e hostilidades tais que os irmãos se dividiram formando dois povos distintos: os edonitas, de Esaú; e os israelitas, de Jacó (Números 20.14-21), tal se ascendeu a ira de Esaú sobre Jacó, intentando matá-lo. Importante é destacar que ao incentivar Jacó a tomar o lugar de Esaú, Rebeca estava corrompendo seu filho, ensinando-lhe a olhar para a ganância e não para o Senhor. Rebeca, já em idade avançada, se tornou imprudente de tal forma que até Jacó assim lhe respondeu: "Eis que Esaú, meu irmão, é varão cabeludo, e eu, varão liso. Porventura, me apalpará o meu pai e serei, a seus olhos, enganador; assim, trarei eu sobre mim maldição e não bênção". Mas Rebeca insistiu: "Meu filho, sobre mim seja a tua maldição; somente obedeça a minha voz, e vai, e traze-mos", Gênesis 27.11-13. Segundo pastor Donald Stamps, em nota bíblica, "Rebeca e Jacó (mãe e filho) tentaram realizar os propósitos de concerto divino (Gênesis 25.23) mediante astúcia e trapaça". Rebeca perdera a fé, deixara de exercitar a obediência a Deus e ao marido e estava rejeitando a bênção de Deus quando pediu a maldição para si. Rebeca sofreu grandemente, pois Jacó teve que fugir e ela nunca mais o viu. E pode-se imaginar o amargor que Esaú alimentou durante muito tempo: mágoas profundas contra seu irmão e sua mãe. A vida fugitiva de Jacó só se aliviou quando o Senhor interferiu para a reconciliação dos dois irmãos (Gênesis 32 e 33). Foi tão grande o alívio de Jacó que ele disse ao seu irmão: "Porquanto tenho visto o teu rosto, como se tivesse visto o rosto de Deus; e tomaste contentamento em mim", Gênesis 33.10. "E disse: caminhemos e andemos...", Gênesis 33.12. Irmãos devem caminhar e andar juntos. Por isso, as individualidades devem ser respeitadas. E os pais devem incentivar os filhos ao amor e à bênção. Um irmão deve se alegrar pelo sucesso do outro. E foi isso que Esaú fez quando foi tocado por Deus. Preservando o relacionamento entre irmãos Atente para a individualidade de cada filho respeitando seus limites, valorizando suas virtudes, aplicando-lhes o respeito e a disciplina; Reflitam sobre suas origens de criação, estabeleçam os pontos de sucesso a serem seguidos, avaliem os fracassos, aprendendo com eles e evitando-os. José, filho de Jacó, foi assim: quebrou vários mitos familiares. Parar, ouvir, pensar e agir tornam mais eficaz o sucesso nos relacionamentos; Trabalhe com seus filhos dentro da ética e disciplina para que a criança forme a auto-estima favorável. Superproteção só diminui a estima, e a valorização da auto-imagem se perde no seio materno; O respeito deve ser incentivado desde a terna infância para que não desencadeie inversão de valores. A hierarquia bíblica é o modelo; Falar e viver a verdade. Sempre se questionar: Qual é a verdade nesta situação? Estou tendencioso(a)? Por quê? (João 8.32; 14.6); Os pais devem falar a mesma linguagem. Troquem idéias antes de tomar decisões e até mesmo impor limites ou aplicar disciplina. Com o tempo essa atitude se torna mais fácil; Incentive o afeto familiar. O clima afetivo de família, de auxílio mútuo e em conjunto, reforça o sentimento de pertencer e nutre a auto-estima; Não comparar o filho a outrem. Cada um tem a sua própria identidade. Se houver referência à qualidade do outro, faça-o como incentivo àquele comportamento que pode ser aprendido e não desvalorizado; Brigas devem ser evitadas. permita que dialoguem com racionalidade e, se não chegarem a uma conclusão, incentive-os à reflexão e comunhão; Se um ferir o outro com palavras, gestos ou fisicamente, leve-os a se retratarem e buscarem o perdão. Fonte: CPAD Por, Sônia Scaff (Psicóloga)

O que meu filho declara?

Temos visto nos nossos dias o massificar constante do inferno contra as nossas vidas e, principalmente, dos nossos filhos. A palavra de Deus no livro de Salmos afirma: "Da boca dos pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos meus adversários, para fazer emudecer o inimigo e o vingador". Será que você pai, consegue entender o poder do louvor que há nos lábios dos seus filhos? Pensando nisso, creio que Satanás procura a todo custo inserir de forma sutil na nossa vida as sementes que levam nossos filhos para longe do Senhor. Neste sentido, ao ver um desenho que tem passado constantemente na telinha "As esferas do Dragão" e "Dragon bol GT", identifiquei um guerreiro que tem praticamente todo o poder, poder que está dentro dele chamado KI. O desenho já começa a sugerir que existe uma força interior dentro de nós, pela qual podemos todas as coisas. Induz a criança a não depender do Senhor como nossa única fonte de todas as coisas. Força essa que pode ser aumentada a partir do momento em que o guerreiro (a criança) passa a crer em si mesmo. A pessoa de Deus é tirada do centro de tudo. Outro ponto interessante e terrivelmente maligno, mostra a necessidade de lutar para se conseguir as esferas do Dragão. Essas esferas, quando todas juntas, farão com que o Dragão venha para satisfazer qualquer pedido que for feito a ele. Veja bem, para o Dragão não há impossíveis em satisfazer qualquer pedido, inclusive de trazer dos mortos aqueles a quem se ama ou os que morrem lutando pelas esferas. O Dragão tem todo poder e a partir do momento em que as sete esferas forem reunidas, ele virá. Está muito claro que este desenho é totalmente maligno, apresentando o poder de lutar, de disputar, de muitas vezes dizer que não perdoa. Há ainda um outro personagem em um desses desenhos que se chama Mister Satan, um lutador que não é lá essas coisas, e que convive com todos. São exatamente essas imagens que Satanás quer mostrar a seu próprio respeito. Que não é mal, que pode conviver e estar no meio de todos. Tenho visto os pequenos declararem alegremente em suas brincadeiras os nomes de toda classe de demônios apresentados neste tipo de desenhos. Eles invocam ingenuamente com seus lábios as forças malignas e tornam suas infâncias cada vez mais violentas e brutais com lutas e golpes por toda parte. Entenda que o grande objetivo de Satanás não é somente atingir e enganar a mim ou a você, mas ele está de olho naqueles a quem a Bíblia apresenta como perfeitos adoradores e que têm, mesmo na sua pequenez, o poder de destruir o inferno. Sei que é extremamente difícil impedir aos nossos filhos de assistirem esses desenhos que, prefiro chamar de projetos de Satanás, mas creio que devemos trabalhar mais intensamente para podermos deixar dentro de nossos filhos uma semente tão santa que, quando eles virem esses programas, possam saber que é tudo mentira e que Jesus é maior do que tudo isso. Nosso triunfo está em podermos mostrar e ver que a semente da palavra está tão bem plantada nos corações de nossas crianças que, por mais que assistam a esses programas demoníacos, a presença de Jesus será tão forte, que nada mudará o curso de suas vidas de pequenos adoradores. Pais, dediquem um tempo maior aos seus filhos, semeando em seus corações a semente da verdade, para que amanhã a colheita seja certa e vitoriosa. Assista com seus filhos a esses programas, desenhos e dê a palavra final. Uma palavra de autoridade que irá mudar conceitos dentro dela e que também não permitirá que certos conceitos sejam formados. Fazendo assim, amanhã, quando um filho nosso assistir a um desses programas, certamente os conceitos que os pais passaram serão mais fortes do que qualquer outra coisa que recebem. Invista tempo na vida de seu filho, porque senão, Satanás investirá todo o tempo que tem. Existem pais que geram seus filhos, outros que criam, mas o grande segredo bíblico e que Deus nos chamou para formar. Dar a forma dos céus na terra, através dos pequeninos. Adaptado.

Pais Terceirizados

Esta é, com certeza, a geração mais abandonada de todos os tempos.” Afirma o psicólogo inglês Steve Biddulph, um dos mais requisitados especialistas em educação de crianças. “Pesquisas feitas na Inglaterra mostram que os pais passam apenas seis minutos proveitosos com seus filhos por dia. Não basta dar comida, presentes, sentar em frente da televisão e esperar que seu filho tenha um comportamento exemplar.” (Revista Veja, 21 de Julho, 2004. P. 76) A falta de tempo para se dedicar aos filhos, é uma conseqüência da época em que vivemos, e tem afetado drasticamente a educação das crianças. Existe uma maneira de não gastar tempo com filhos, basta não tê-los. Mas parece que alguns pais, bem mais moderninhos, descobriram outra forma de criar filhos gastando o mínimo de tempo: a terceirização. Uma das características do século XXI é a terceirização, ou seja, passar para terceiros a realização de determinadas tarefas. Para evitar trabalho e dores de cabeça contrata-se uma firma especializada, para cuidar de certos setores. Chegamos a ponto de terceirizar até a criação de nossos filhos! O que deveria ser um apoio para os pais na formação do ser humano acabou tomando o lugar deles, veja só: A educação, tanto acadêmica como a formação ética e moral, foi passada para as escolas. Nas reuniões de pais as escolas andam pedindo ajuda aos pais para que os alunos cumpram com seus compromissos escolares, respeitem os colegas e funcionários... e os pais respondem com um pedido de socorro: Eu não sei mais o que fazer com este menino, façam o que quiserem! Ao ser chamada na escola de seu filho pela 4ª vez, uma mãe alegou que não tinha tempo para o filho porque estava trabalhando muito para lhe proporcionar uma vida melhor. Os cuidados diários foram transferidos para os irmãos mais velhos, tios, e até para os vizinhos, que dão uma “olhadinha” de vez em quando na criança. Sozinhas em casa muitas se sentem inseguras e abandonadas. Uma mãe foi para os USA e deixou a filha de quatro anos com o pai. A criança disse que a mãe foi ganhar dinheiro e vai mandar um celular para ela. Parece que a filha aprendeu rápido a lição que a mãe lhe deu: coisas valem mais que pessoas. A formação do caráter agora é eletrônica: a tv e os jogos eletrônicos cuidam disso. Muitas meninas se vestem e agem imitando toda a sensualidade das animadoras de auditório; maquiagem e cantadas nos meninos já são comuns. Os meninos falam e se portam seguindo os modelos que têm de violência e desrespeito; chutam, batem e quebram. A educação moral e cristã já virou função da igreja. Pais cristãos levam as crianças para as classes bíblicas para descansarem de mais esta responsabilidade. Muitos nem sabem se seus filhos já confessaram a Jesus como seu Senhor e Salvador (Rm 10.9,10). Todos estes serviços e pessoas podem e são ajudas preciosas e têm seu papel na formação das personalidades, mas nunca deveriam tomar o lugar que cabe aos pais. Será que a falta de tempo nos levou a isto? Lídia Weber, psicóloga; em entrevista a revista Veja em 02/06/04, disse: “Educação é trabalho. Se você tem um relatório para entregar no dia seguinte, vira a noite mas o faz. Por que muitas pessoas não têm esse empenho quando se trata de educar suas crianças.” Realmente nossos valores estão se invertendo. Hoje o que vale é ter mais e nem tanto ser mais. Precisamos entrar em estado de alerta! A Bíblia diz: Não imitem a conduta e os costumes deste mundo, mas seja, cada um, uma pessoa nova e diferente, mostrando uma sadia renovação em tudo quanto faz e pensa. E assim vocês aprenderão, de experiência própria, como os caminhos de Deus realmente satisfazem a vocês. Romanos 12:2; Bíblia Viva. Siga os preceitos de Deus e Ele lhe trará satisfação verdadeira. Também conheço mães e pais, que realmente precisam gastar boa parte do tempo trabalhando, mas se empenham para investir tempo de qualidade em seus filhos. Sabem onde eles estão, com quem andam, como vão na escola, o que lhes dá alegria, o que lhes entristece; conhecem seus filhos. Amam, disciplinam, sabem dar os limites necessários. Quando não sabem, procuram ajuda com pessoas e literaturas adequadas, sem no entanto, transferirem a terceiros a missão de educar seus herdeiros. O que seu filho mais precisa é de você. Não dá para ser pai e mãe por correspondência ou só por telefone. Educar é relacionar. Relacionar gasta tempo, energia, paciência, negação de si mesmo; e por outro lado; produz caráter, alegria, equilíbrio, saúde, felicidade. Uma vez pedi ao Dr. Russell Shedd que orasse por mim, pelo meu ministério de ensino. E a primeira coisa que ele mencionou na oração foi minha vida familiar. Ele pediu que eu fosse uma boa mãe e boa esposa. Que exortação este mestre me deu neste dia! Orou pelo ministério de mãe e esposa, os principais da vida. Não dá para terceirizar a responsabilidade de educação dos filhos, pois foi o próprio Deus que a delegou aos pais: “E você deve meditar sempre nestes mandamentos que hoje estou ordenando – os quais você deve ensinar aos seus filhos. É preciso que você converse sobre estas leis quando estiver em casa, quando estiver andando pôr algum caminho, na hora de dormir e logo ao despertar.” Dt. 6:6,7. Nada é mais importante que a educação de seus filhos! Nem carreira, nem bens materiais, nem a pia sempre limpa. Crianças precisam de pais que a amem o suficiente para investir tempo neles, amá-los e dar-lhes limites e liberdade na dose certa para serem felizes. Que Deus lhe dê amor, sabedoria e coragem para educar seus filhos como eles precisam ser educados. Invista em seus filhos, é sua missão e vale a pena! Por: Alexandra Guerra Castanheira

Recados do seu filho

UM PEDIDO A SER CONSIDERADO 1 - Não me estragues - Sei perfeitamente que não devo ter tudo que peço. Estou apenas testando você. 2 - Não tenha medo de ser firme comigo - Prefiro assim, para me sentir seguro amanhã. 3 - Não me faça sentir menor do que sou - Isto só fará com que me comporte como "grande" ridículo. 4 - Não me deixe adquirir maus hábitos - Tenho que contar com você para eliminá-los. 5 - Não me corrija com aspereza diante dos outros - A repreensão será mais proveitosa se feita calmamente, em particular. 6 - Não me proteja das conseqüências - É bom de que de vez em quando eu aprenda sofrendo na própria pele. 7 - Não se sinta chocado quando digo - "Odeio você" No fundo, não é você que odeio, é seu poder de me contrariar. 8 - Não ligue muito para certas dorzinhas de que às vezes me queixo - Quase sempre não passam de um truque para conseguir a atenção que preciso. 9 - Não seja ranheta comigo - Do contrário, para me proteger, serei obrigado a parecer surdo às suas reclamações. 10- Não se esqueça que não sei ainda me exprimir tão bem quanto desejaria - Este é o motivo por que nem sempre sou muito exato em minhas explicações. 11- Não faças promessas irrefletidas - Lembre-se que fico tremendamente frustrado quando uma promessa não é cumprida. 12- Não exija de mim padrões que não possa cumprir - Isto facilmente me assusta, a ponto de me levar a dizer mentiras. 13- Não seja incoerente - Cria em mim uma confusão tal que me faz perder a fé em você. 14- Não me diga nunca que meus medos são bobagens - Para mim, eles são terrivelmente reais, e você contribuirá muito para me dar segurança se tentar entendê-los. 15- Não me descarte quando faço perguntas - Senão eu paro de lhe perguntar as coisas e você vai descobrir que agora busco minhas respostas em outros lugares. 16- Não queira nunca parecer como perfeito ou infalível - Para mim será um choque forte demais descobrir que você não é nenhuma das duas coisas. 17- Não pense jamais que cairá do pedestal de sua dignidade perante mim se tiver que pedir desculpa - Saiba que um pedido de desculpa honesto, só faz aumentar minha atmosfera de intimidade com você. 18- Não se esqueça do quão depressa estou crescendo - Deve ser duro para você acompanhar meu ritmo, mas, por favor, tente. 19- Não se esqueça que gosto de experimentar - Sem isto não posso ir adiante. 20- Não se esqueça que não posso florescer se

Se você fosse meu filho...

Hoje me passou pela cabeça o que faria, Se você, papai, fosse meu filho. Se você fosse meu filho, e eu notasse você Carregado de perguntas e interrogações, Dialogaria sobre as coisas da vida, Diria de onde você veio, como nasceu. Contaria as peraltices da infância. Falaria do amor de Deus, de Jesus, de salvação... É tão bom, papai, bater papo com você! Se você fosse meu filho, e brigasse com a mamãe, (como eu faço com a irmãzinha às vezes), vocês fariam as pazes logo, logo. Obrigariam um ao outro apertar a mão, Beijar a face, e, num abraço gostoso pedir perdão. Se você, papai, fosse meu filho, Não deixaria você comer às pressas. Sair correndo, quase morrendo. Eu quero ver você bem bonito, bem gordinho. Eu quero ver você ficar velhinho! Se você fosse meu filho, Levaria você ao parque, ao jardim. Compraria pipoca, sorvete, bombom, Faria tudo para você ficar contente. Que bom, papai, quando você passeia com a gente! Se você fosse meu filho, na hora de dormir, Eu deixaria de ver televisão, iria ao quarto, Segurar-lhe a mão, fazer oração, E cantar cantigas de ninar... É tão gostoso ouvir você cantar comigo, E dizer em oração: Papai do céu... Ah! Eu gosto tanto, tanto de você. Que eu gostaria, papai, de ser seu pai! Silvino Netto.

A Disciplina livra a criança da morte

Pv.23:13 diz que a disciplina como a vara não matará a criança. Muito pelo contrário. Poupará a sua vida de uma morte prematura ( Pv.19:18 ) e possivelmente de uma eternidade no inferno: "Tu a fustigarás com a vara e livrará a sua alma do inferno" Pv. 23:14. Disciplina sempre visa o bem estar do filho. Não visa punição, mas criação. O fruto de disciplina dos filhos é um lar tranqüilo - "Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias a tua alma" Pv. 29:17. Quem não quer ter filhos sob controle? Quem não quer ter paz no lar? A correção agora, mesmo que custe e cause dor, trará inúmeros benefícios aos pais e ao filho. Que alvo desejável! Que princípio encorajador! Vale a pena, papai! Vale a pena, mamãe! Corrijam agora, e recebam descanso depois. Princípios de Disciplina: 1 - Disciplina segue instrução clara e objetiva. 2 - É uma expressão de amor. 3 - Tem de ser administrada com diligência e coerência. 4 - Não deve machucar ou ferir a criança, mas causar uma certa dor temporária. 5 - Disciplina visa restauração e correção, não punição. 6 - Deve incluir o uso da vara, embora outras formas de disciplina talvez sejam apropriadas em certos casos. 7 - Disciplina é necessária por causa da natureza pecaminosa da criança. 8 - Poupará a vida (alma) da criança da morte. 9 - Disciplina apropriada não prejudica a criança. 10- Dará uma vida de paz e sucesso aos pais e filhos. Exige coragem ter filhos? Talvez, mas exige muito mais. Exige bom senso para seguir o padrão bíblico. Quem precisa de coragem são os pais que preferem fazer as coisas "do seu jeito", ignorando o conselho claro da Palavra de Deus. Transcrito.

Nossos filhos no templo

A criança é a Igreja de hoje, e não a Igreja de amanhã como fomos ensinados. Podemos ter como exemplo o rei Josias que com oito anos de idade começou a reinar; e a Bíblia diz que "Fez o que era reto aos olhos do Senhor".(II Reis 22:2) A Palavra de Deus diz: "Deixai vir a mim os pequeninos e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus." (Lucas 18:16) Como podemos impedir uma criança de ir ao Senhor? 1º Não levando-a ao culto - queridos, não deixem seus filhos em casa nos dias de culto. No início pode ser difícil para eles ficarem quietos, mas com o tempo eles aprenderão a amar ao Senhor e a reverenciá-lo. 2º Não ensinando o caminho que eles devem andar - não devemos achar que nossos filhos são novos demais para aprender, devemos inculcar neles a Palavra de Deus. Inculcar no hebraico significa costurar no coração. 3º Não tenha um tempo de oração com eles, adoração e louvor ao Senhor. Ensine-os o caminho da adoração - da boca dos pequeninos sai o perfeito louvor. Adore ao Senhor junto com seus filhos; tenha um tempo de oração com eles, adoração e louvor ao Senhor. Os discípulos tentaram impedir as crianças de chegarem até Jesus, mas os pais que as levaram até Ele, sabiam que se Ele as tocasse a vida delas seria transformada e Jesus queria tocá-las e abençoá-las. E esse é o desejo de Jesus para nossos filhos: tocá-los e abençoá-los.

para os pais 3- Ensinando a criança a administrar as próprias finanças

Como ensinar crianças a administrar a mesada e lidar com as próprias finanças no futuro Para alguns adultos, lidar com dinheiro é um bicho-de-sete-cabeças. O segredo é começar cedo, desde criança. Não podemos ter dificuldade ou adiar o momento de tratar deste tema tão importante. Temos que buscar o caminho para transformar os pequenos em adultos mais responsáveis quando o assunto é finanças. Muitos pais não estão dando conta disso, mas é necessário que assumam este papel de instrução. Neste caso, a escola e a igreja também podem contribuir como conselheiras no assunto. A educação financeira começa cedo. Recomenda-se que os adultos apresentem aos filhos moedas e cédulas, mostrando como elas podem ser coloridas. Entre os 2 e 3 anos de idade, já é possível mostrar as diferenças entre o que é caro e barato. Também se pode ensinar a discernir entre o que se compra por necessidade e por impulso. Esses são alguns dos segredos para ter habilidade financeira. É nessa fase inicial que pais e educadores podem fazer as crianças compreender que não se deve desperdiçar dinheiro. Desde cedo é preciso fazer cuidar dos desperdícios, controlar os impulsos de consumo, explicar que tipo de trabalho os pais realizam. Mostrar a diferença entre coisas caras e baratas, estimular a participar do orçamento doméstico ou de algum evento melhora a capacidade de planejamento. Outro item difícil para os pais é o das mesadas. Dê mesada ao seu filho e cuide para que a mesada seja um instrumento de maturidade financeira, é preciso aprender adiar desejos para benefícios futuros. faça uma relação dos gastos com a mesada, evitando dar dinheiro picados durante o mês. O ideal é começar com semanadas a partir dos 3 anos e só pular para as mesadas depois dos 10 anos de idade. Quanto ao valor, há uma fórmula simples: R$ 1 por ano de idade por semana. A mesada pode ser um excelente instrumento para o amadurecimento, mas, se for mal dosada pelos pais, pode se transformar em uma fonte de conflitos desastrosos. Deve-se conscientizar que o dinheiro precisa ser gasto de forma ética, honesta e justa. Envolva os avós na educação dos seus filhos, mas nunca estabeleça nenhuma relação da mesada ao cumprimento de tarefas em casa ou ao bom desempenho escolar. O contrário também vale: não se deve cortar a mesada apenas como forma de castigo. Deixar que os filhos gastem com o que quiserem pode até ser doloroso, mas os pais não têm de se meter no assunto. Eles precisam deixar a criança fazer as próprias escolhas. Aprender a lidar com dinheiro exige tempo e persistência. É até positivo quando os filhos vão à falência algumas vezes. Vai fazer com que se policiem sobre erros e não os cometam na vida adulta. BÊ-Á-BÁ DO DINHEIRO Dicas para educar seu filho financeiramente Ensine seu filho a distinguir as coisas que compramos porque queremos daquelas que compramos por necessidade. Muito da habilidade financeira depende disso Faça seu filho compreender que é importante não desperdiçar dinheiro. Apresente moedas e cédulas a ele, mostrando diferenças de tamanho e cor. Só se respeita o que se conhece Compras devem respeitar listas. Chame seu filho para elaborar a lista do supermercado e deixe-o responsável por checá-la Provoque a atenção de seu filho para coisas caras e baratas. É o primeiro passo que leva à racionalidade na hora de usar dinheiro Se seu orçamento permitir, dê a seu filho uma semanada. Assim, a criança aprende a tomar decisões desde cedo. Comece com R$ 1 por ano de idade por semana Troque a semanada por uma mesada Aprender a lidar com dinheiro leva tempo e exige persistência. Não se sinta desanimado se seu filho 'falir'. Pequenos erros vão ensiná-lo a não cometer outros no futuro Não se torture por não poder dar ao seu filho tudo o que ele quer, entenda que será muito melhor pra ele. Se seu filho ganhar tudo o que deseja não saberá o valor que tem. Resista à tentação de presentear seu filho a todo momento. Faça isso somente em ocasiões propícias Quando seu filho estiver maduro, ensine-o que a mesada pode ser dividida em duas partes: uma para gastar e outra para poupar Proponha metas, as crianças precisam ser estimuladas a ganhar seu próprio dinheiro, principalmente quando menos precisam. E não esqueça é importante que eles sigam uma profissão pela qual eles tenham habilidade.

Para os pais 2-Meu pai, meu melhor discipulador

Nos dias atuais temos observado que a família tem transferido a responsabilidade da educação dos filhos para as instituições. A educação humanista, secular é responsabilidade da escola, a educação religiosa é responsabilidade da igreja, mas os pais não se dão conta de que a responsabilidade maior pela formação do caráter de uma criança é deles. Não que as instituições não tenham participação relevante nesse processo, porém, é na família que a criança terá todas as referências necessárias para a formação e desenvolvimento da sua personalidade. Provérbios 22:6 diz: "Ensina a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele" . O grande problema é que na maioria das vezes, os pais entendem que a fase da criança aprender só começa aos 3 ou 4 anos, ou acham que a criança só começa a entender alguma coisa nesta idade. Eles não percebem que antes disso ela aprendeu a andar, a falar, a reivindicar a satisfação da sua vontade, a bater o pé quando é confrontada, etc., e quando a Bíblia nos diz "ensina a criança", ela esta dizendo que é desde o útero que esta criança pode e deve ser ensinada. Nós, os pais, quando transferimos para outros a educação, ou o discipulado, dos nossos filhos, corremos o risco de ver impresso no caráter deles a marca de um educador ou discipulador que pode ser bom ou ruim, dependendo dos valores que tal pessoa tem, sem contar que muitas crianças, por não terem no pai um bom referencial de autoridade (Ef. 6:4) , de amor, de carinho, e de disciplina (Pv .23:13 e 14) passam a ver como referencial os professores e pastores que, sem querer, ou de forma involuntária, acabam tirando a autoridade dos pais. Então, os filhos acabam honrando pessoas estranhas, quando, na verdade, essa honra deve ser dirigida aos pais, para que o filho possa atrair as bênçãos de Deus sobre si (Ef 6:2 ; Ex 20:12). Nestes dias precisamos estar atentos a tudo aquilo que vem agredir aos nossos filhos, como os meios de comunicação, que declararam guerra contra as crianças, os adolescentes e os jovens, transmitindo "entretenimentos" degenerados e nocivos para dentro dos nossos lares, com anúncios publicitários que exploram os desejos e as fraquezas dos nossos filhos. As crianças crescem muito rápido. Hoje, mal começam a respirar e já são lançadas num mundo adulto, agressivo e permissivo. A sociedade concentra-se cada vez mais nos desejos dos adultos e as crianças são as perdedoras. Nós, pais, temos que entender que somos os melhores discipuladores dos nossos filhos e diante de Deus somos os responsáveis para ensinar-lhes os estatutos, os mandamentos e preceitos divinos. Em Deuteronômio 6:2 e 7 o Senhor nos diz "para que temas ao senhor teu Deus e guardes todos os meus estatutos e mandamentos, que eu te ordeno, tu e teu filho, e o filho do teu filho, todos os dias da tua vida e para que se prolonguem os teus dias" e "as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando nele pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te ". Então, o Senhor responsabiliza a nós, os pais, para ensinarmos aos nossos filhos tudo aquilo que vai compor a personalidade, a alma e o caráter deles, para apresentarmos ao Senhor uma herança plantada na Sua casa, rendendo frutos para o reino, prontos para serem alistados no exército do Grande Rei (Sl 127:3) e não uma herança drogada, prostituída, com um mal testemunho como os filhos de Eli, Hofni e Fineias (1 Sm 2:12-17; 27-34) que se tornaram malditos aos olhos de Deus. Nós, os pais, somos os responsáveis para ensinar aos nossos filhos a bondade e a misericórdia com que Deus nos trata. Devemos ter a consciência de que somos a janela pela qual eles verão a Deus, o espelho que vai refletir neles a imagem de Jesus. Então eles serão como árvores plantadas junto a ribeiros de águas, que darão fruto na estação própria, e, o que é melhor, tudo o que fizerem prosperará (Sl 1:3). Você, papai, é o melhor discipulador do seu filho. Assuma isso e a sua descendência será alvo da graça de Deus.

Para os pais 1

Criando um Líder na Infância Durante muito tempo a igreja teve a sua visão limitada no que diz respeito às crianças. A idéia geral era que deveria ter algum trabalho para elas porque vinham com os pais e, se ficassem no templo, atrapalhariam o culto. Poucos eram os que viam nelas pessoas tão importantes quanto quaisquer outras da congregação e que mereciam respeito e atenção da mesma maneira que os outros. O Ministério Infantil, através da Rede de Crianças nos mostra que todos têm o seu lugar no Reino e têm a sua importância, desde o mais novo ao idoso. Todos precisam ser vistos de forma especial em suas necessidades e no potencial que têm para oferecer ao crescimento do reino. Dentro desta visão, esta Rede tem como proposta mostrar às crianças que Deus é real, está presente em suas vidas em todos os instantes, em todas as atividades que desenvolvem durante o dia, e, quando dormem, esse mesmo Deus vela por elas. A Rede trabalha com evangelismo nas células, além de tratarmos da formação de caráter. Temos cultos semanais, específicos para crianças, onde todas as coisas, ornamentação, recepção, músicas, ministração, levam em conta a própria criança, buscando ensiná-las a estar na casa do Senhor e ter prazer em servi-lO. Temos ainda os Encontros, que trazem cura, libertação e batismo do Espírito Santo; além de outras atividades, como acampamentos, passeios e um trabalho social feito pelos líderes de células. Jesus disse: "Não impeçais as crianças de virem a mim, pois delas é o reino dos céus. E se não tiverem o coração como o delas, não entrarão no meu reino". Não devemos impedir nossas crianças de chegarem a Jesus. Quando achamos que são muito imaturas para aprender as coisas do reino, ou que desperdiçamos tempo e dinheiro, que o gasto é sem retorno, quando olhamos para elas apenas como o "futuro", estamos impedindo que elas cheguem até Jesus. Temos um sonho: formar um exército de crianças cheias do Espírito Santo, adestradas na Palavra, ousadas e destemidas, para saquear o inferno e implantar o reino de Deus na terra. Conclamamos você, amado irmão, a sonhar juntamente conosco, e a fazer esse exército marchar sobre a terra. Invista nas suas crianças. Olhe para elas como líderes de êxito, de sucesso, e você verá a grande diferença que isso fará nas famílias e em todo o Ministério. Contamos com você! Prs. Luiz Renato e Regina Vasconcelos (adaptado)
http://www.montesiao.pro.br/video/noe.swf
http://www.turminhaquerubim.com.br/diversao.php
Ser criança é assim... correr até acabar o fôlego, rolar pelo chão sem medo de se sujar, falar o que vier na cabeça e fazer de qualquer coisa uma brincadeira. Época da vida da qual temos saudades quando envelhecemos. E é exatamente nesta página dedicada a todos esses pequenos seres, que têm a inocência como principal característica, que devemos não só valorizar a vitalidade infantil, como também procurar resgatar a essência da criança.

Cadastro de crianças

O Ministério Infantil , como o próprio nome já diz é um Ministério. Um Ministério com muitas, previsíveis e imprevisíveis responsabilidades! Um Ministério que cuida do que Deus tem de mais precioso: suas crianças!!! Lucas 18.16: “Jesus, porém, chamando-as para junto de si, ordenou: Deixai vir a mim os pequeninos e não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus.” Infelizmente, muitos, na própria igreja, pensam que o Ministério Infantil tem somente a responsabilidade de fazer lembrancinhas em dias festivos, cuidar das crianças e não deixá-las atrapalhar o culto dos adultos. Infelizmente é uma verdade que eu já presenciei. Nós que fomos chamados para o Ministério Infantil temos a responsabilidade de ministrar a Palavra de Deus para esses coraçõezinhos, de mostrar o Caminho Certo, de acompanhar sua vida cristã, de dizer não para o mundo e de ajudá-los a pôr em prática o relacionamento pessoal com Deus, ajudando a formar neles o verdadeiro caráter de Cristo. Para facilitar o dia-a-dia do Ministério Infantil, o Projeto Brincando & Brilhando, está preparando uma sequencia de idéias administrativas, para ajudar a estruturar o seu backup. Vamos começar com um “CADASTRO” – para cadastrar cada criança do seu Ministério Infantil. Este link ficará disponível no site Ministério Infantil e pode ser impresso e copiado, quantas vezes for necessário:Cadastro – Formulário É muito importante o Líder do Ministério Infantil conhecer as crianças do seu Ministério. O Cadastro facilitará seu trabalho, te ajudando a conhecer um pouquinho mais, fazendo as perguntas básicas para um Ministério Cristão, sem constranger a criança. Este cadastro não é o mesmo que a Igreja tem, este cadastro é direcionado para o Ministério Infantil e deverá ficar com os líderes (secretaria) do Ministério Infantil. Caso o seu Ministério ainda não tenha um! Com um cadastro simples, ajudará o Ministério Infantil a conhecer coisas básicas: Ter uma referência sobre sua família. Saber o nome dos pais ou adulto responsável. Saber o endereço – ter uma noção das dificuldades que a criança tem para frequentar os cultos (se mora longe ou não). Saber se a família é cristã ou não. Saber um pouco do que a criança gosta. Saber da agenda da criança, quando poderá contar com ela (para ensaios e atividades extras por exemplo).

Perigo nas Brincadeiras – ABRACADABRA

Muitas vezes antes do culto infantil começar ou quando terminar, num momento de descontração, escutamos coisas de nossas crianças, como por exemplo a palavra: Abracadabra. Infelizmente, num culto infantil no qual eu assistia um dia, numa igreja que fui visitar, eu escutei do próprio preletor que foi convidado, falando através dos bonecos de fantoches essa “inocente” palavra. E, depois, com meu grupo de crianças reunidas e com minha equipe, tive que explicar o porquê isso era errado, o porquê não é “cristão” esse termo. Acreditem até mesmo a equipe que trabalhava comigo tinha dúvidas em relação a esse termo. Nós, como educadores cristãos, devemos estar atentos a tudo e prontos a explicar o porquê isso é errado. Explique com amor, nas suas palavras, para que a criança seja capaz de entender, mostre que com isso muita gente deixou Papai do Céu muito triste e que nós nascemos para deixá-Lo feliz, para louvá-Lo. Muito importante orar depois com a criança. Aqui estão somente dois dos vários versículos que podemos nos fudamentar na Palavra de Deus, entre eles o mais famoso deles, o simples “Ficarão de fora…”: Apocalipse 21:8 – Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte. Apocalipse 22:15 – Fora ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira. Essa explicação é mais para a sua equipe, pois tem termos mais complicados de entender, embora essa explicação encontrei no “Manual do Escoteiros Mirins – de Monteiro Lobato” ABRACADABRA É assim que muitos mágicos e feiticeiros iniciam um rito, visando a invocar poderes sobrenaturais. Essa palavra mágica é uma fórmula mágica usada em encantamentos contra enfermidades e outras desgraças, geralmente inscrita num amuleto em forma de triângulo invertido. A palavra, escrita em linhas sucessivas, a cada linha perde uma letra de cada extremidade, de modo que, na última linha, sobre a letra do meio (A), que constitui o vértice do triângulo invertido que se formou. E esse triângulo pode ser lido também pelos lados. Segundo os velhos magos, a doença ou má sorte desapareceria à medida que a fórmula mágica fosse diminuindo. Os primeiros trabalhos em que se menciona essa fórmula mágica são de Quintus Severus Sammondicus, médico que viveu no século III da nossa era. Essa figura cabalística é formada pelo nome de Abraca (Abracax ou Abraxas), tido como o mais antigo dos deuses (demonios). E ela própria – a figura – era venerada como uma espécie de divindade. Simplificando para as crianças entenderem: Esta palavra “Abracadabra” é o nome de um Demônio. As pessoas antigamente que não conheciam o amor do Papai do Céu, achavam que chamando esse demônio e mostrando a figura dele seriam capazes de curar doenças. Hoje em dia falamos para adivinhar alguma coisa. Quem tem o criador do Universo como amigo precisa chamar um demônio para adivinhar alguma coisa? Claro que não! Isso entristeceria Deus! Porque Ele é nosso melhor amigo, então chamariamos Jesus não é mesmo? E podemos brincar com o nome do nosso Deus? Também não! E queremos o nome de algum demônio em alguma brincadeira nossa? Também não! Então vamos ter cuidado de toda palavra que sair da nossa boca! Nossa boca tem que ser santa! Faça uma oração com elas! Fiquem com Deus e até o próximo post!!!

Dinâmica – O BONECO

Dinâmica a ser feita com crianças acima de 05 anos, adolescentes ou numa reunião para motivação dos líderes. Objetivo: União do grupo, trabalho em equipe e comunhão. Número de Participantes: Mínimo 10. Material: 2 folhas de papel para cada participante. Canetas coloridas hidrográficas, fita adesiva, cola e tesoura. Etapas: Cada membro do grupo deve desenhar em uma folha de papel uma parte do corpo humano, sem mostrar para os outros. Após todos terem desenhado, pedir que tentem montar um boneco. Dê um tempo de 03 minutos. Provavelmente não conseguirão, pois pode ser que tenha mais bocas do que olhos e nenhum nariz, por exemplo. Em seguida, distribua a outra folha de papel para cada um e peça novamente que desenhem as partes do corpo humano, mas dessa vez juntos em equipe. Eles devem se organizar, combinando qual parte cada um deve desenhar. Dê um prazo entre 05 e 10 minutos, dependendo do número de participantes. Após desenharem, dê mais 03 minutinhos para montarem o boneco. Terminada a montagem, cada membro deverá refletir e falar sobre a parte que desenhou e sua função. Caso tenha mais um tempinho, peça para que em grupo falem sobre como foi montar o boneco, as dificuldades, etc. Leia os versículos bíblicos: 1 Cor 12:12-13 – “Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo. Pois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” 1 Cor 12:12-31 – “…Mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela, para que não haja divisão no corpo, mas que os membros tenham igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora, vós sois corpo de Cristo, e individualmente seus membros. E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.” Rom 12:4-8 – “Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma função, assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada…” Explique a importância da unidade do corpo e que cada um tem sua devida importância dentro do corpo, ninguém pode se sentir mais importante ou inferior aos outros e cada um deverá cuidar do outro. Há espaço para todos dentro do corpo (principalmente quando essa dinâmica for aplicada entre os líderes). Enfatize a comunhão e o quanto isso é importante para sua equipe, para a igreja e para Deus. E termine fazendo uma oração com todos de mãos dadas.

CAIXINHAS DE PRESENTE

Dinâmica – CAIXINHAS DE PRESENTE BY DANIFAVA, ON JULY 18TH, 2010 Levar 10 caixas embrulhadas com papel de presente: 07 delas devem estar embrulhadas de forma bem bonita, algumas podem ser grandes e outras podem ser pequenas. 03 caixas estarão embrulhadas de forma mais simples, poderá ser com papel jornal, papel pardo, sulfite ou papel de presente amassado/rasgado. Dentro das caixas bonitas coloque jornal amassado, pedras, pedaços de pau, revistas velhas (materiais com pouco valor). Dentro das caixas simples coloque objetos bons, por exemplo: balas, pirulitos, bombons, pequenos brinquedos, livrinhos bíblicos. Coloque as caixas no centro da sala, todas misturadas. Divida a turma em 6 grupos e escolha 1 criança de cada grupo, esta criança deverá escolher uma das caixas e todo grupo receberá o que contém na caixa. Todos do grupo podem participar dando sugestão de qual caixa a criança deverá escolher. Quando todos os grupos já estiverem com as caixas de presente, pergunte para cada grupo porque escolheram aquela caixa. Então, peça para que cada grupo abra o seu presente, aguarde a reação de cada um (2 minutos). Depois de aberto, peça para que cada grupo fale o que ganhou e mostre para os demais grupos. Educador, procure “explorar” bem esta situação fazendo as crianças entenderem que nem sempre um pacote bonito faz um conteúdo valioso. (peça paciência as crianças, para elas ainda não comerem o que ganhou) OBJETIVO: Mostrar que Deus não vê a aparência, mas sim o coração. A tendência natural é escolher alguma coisa por ser bonita, mas nem sempre o que se mostra bonito é valioso! Esta dinâmica pode ser aplicada com atitudes religiosas (ir a igreja, ler a Bíblia, louvar), mas que nem sempre refletem o que vai no coração. Deus conhece o nosso interior! E por não querer ser só um papel bonito, vamos dividir o que ganhamos, compartilhando com as outras crianças as balas, pirulitos, etc. HISTÓRIAS BÍBLICAS PARA APLICAÇÃO DA DINÂMICA Davi Prática da Justiça Mateus 6 Marta e Maria Caso sua turma seja de até 20 crianças, sugiro fazer um pacote para cada criança! Conte-nos como foi essa dinâmica em sua igreja!

Reunião de Líderes – Diferença entre Seguidor e Discípulo

Olá pessoal! Desculpa a minha ausência durante esses dias, mudei essa semana de país, então estava com minha vida super agitada! Estou me adaptando a minha vida nova e muito feliz! Deus é maravilhoso em todo o tempo!!! No meio da minha mudança, encontrei algumas coisas que gostaria de compartilhar com vocês para abençoar seus ministérios também… Uma delas é este texto do “Seguidor e o Discípulo” que eu usei com meu time de líderes em uma reunião do Ministério Infantil, então, minha dica é sempre que for reunir seu time de líderes, ore com eles, compartilhe uma idéia, faça um devocional juntos, tenha um período de meditação… eles precisam ser incentivados e lembrados o quanto o trabalho deles é importante para a sua igreja e também para o Reino e também precisam ser estimulados a dar-se cada vez mais a Obra, buscando o melhor de sí, para Deus! Copie o texto abaixo e leia na reunião de líderes: O seguidor espera pães e peixe; o discípulo é um pescador. O seguidor luta por crescer; o discípulo luta por reproduzir-se. O seguidor se ganha; o discípulo se faz. O seguidor gosta do afago; o discípulo gosta do serviço e do sacrifício. O seguidor entrega parte dos seus desejos; o discípulo entrega sua vida. O seguidor espera que lhe apontem a tarefa; o discípulo é solícito em tomar a responsabilidade. O seguidor quase sempre murmura e reclama; o discípulo obedece e nega a sí mesmo. O seguidor reclama que o visitem; o discípulo visita. O seguidor vale porque soma; o discípulo vale porque multiplica. O seguidor sonha com a igreja ideal; o discípulo se entrega para fazer a igreja real. O seguidor diz: Que bonito!; o discípulo diz: Eis-me aqui! O seguidor espera por um avivamento na igreja; o discípulo é parte do avivamento. O seguidor é forte soldado na trincheira de defesa; o discípulo é soldado invasor da trincheira inimiga. O seguidor é condicionado pelas circunstâncias; o discípulo as aproveita para exercitar sua fé. O seguidor é valioso; o discípulo é indispensável!

CAIXA DE BENÇÃO

É muito gostoso programar ou participar de um “culto de missões”, decorar a igreja com banners, mostrar apresentações de missões, ver a criatividade de Deus em povos diferentes, culturas, tantas coisas… sempre me emociono muito nesses cultos! Mas muito mais gostoso que isso é participar! Levantar as mangas e trabalhar! Faça uma campanha em sua igreja para missões! Motive-os a ajudar um missionário! Converse com sua equipe e escolha um missionário, de preferência um que foi enviado por sua igreja, que todos conheçam. Caso não conheça nenhum, indico a Missionária Lídia, que faz um trabalho precioso na África e precisa muito de mantenedores. Eleito o missionário, decore sua sala de aula com o tema do país/cidade que o missionário vive. Traga uma caixa grande de papelão, de preferência nova e resistente, para doações! E um envelope grande ou uma caixa pequena, que será para abençoar o missionário! Nesta aula de missões, conte uma história sobre missões, com bastante empolgação, com muita alegria e entusiasmo. Tem várias histórias da APEC que pode ajudá-los nisso, mas escolha uma história curta, para deixar mais tempo para as “Caixas de Bênçãos”. No final da história, fale sobre o missionário(a) escolhido(a) e sua cidade. Icentive-os a trazerem doações para ‘abençoar’, como por exemplo: roupas, brinquedos, bíblias, etc. Lembrando que, como é para “abençoar”, não vale trazer brinquedos quebrados, roupas rasgadas, deixe isso bem claro: somente coisas boas. A Caixa Grande de Bênçãos será recebida pelas crianças e é nela que irão colocar todas as Bênçãos arrecadadas (estipule a data limite para o recebimento). O missionário(a) e sua família também precisam de bênçãos e incentivos para continuarem animados, sentindo o amor da igreja e o carinho dos irmãos. Para isso, incentive as crianças a fazerem cartinhas de bênçãos para eles, demonstrando o amor, com desenho, versículos bíblicos e o mais que a imaginação delas permitir. Não esqueça de ninguém da família do missionário, é importante que todos sejam lembrados e que todos recebam uma cartinha de bênçãos. Todas as cartinhas das crianças serão colocadas na Caixinha de Bênçãos (ou envelope grande) que será recebida pelo missionário e sua família. Materiais necessários: 1 caixa de papelão grande 1 caixa de papelão pequena (ou envelope grande) Papéis de carta e envelopes de carta Fita adesiva para lacrar caixa Materiais para decorar as cartinhas: Canetinhas coloridas Canetinhas com glitter Stickers do Smilinguido ou Mig&Meg Colas coloridas Recortes de revistas Use sua criatividade

Jogo: Espada no Ar!

Esse é o jogo mais popular em classes de escola dominical e você educador, pode animar sua classe com essa divertida competição em qualquer uma de suas aulas, na parte final da aula. Sugiro deixar pelo menos uns 20 minutos para esse jogo. É sem dúvida, uma maneira muito divertida de memorizar versículos, nomes e referências bíblicas. Não importa o número de participantes, mas quanto mais melhor. Muito importante saber que esse jogo é para crianças a partir de 8 anos que saibam ler e escrever. Divida sua classe em times, em times de 5/6 participantes. Caso tenha muitos alunos, pode colocar mais participantes para cada time. Cada time é um exército e cada exército escolhe o seu capitão. O educador então fala com voz autoritária: ESPADA NO AR! Os capitães se preparam levantando a “ESPADA” (Bíblia) fechada. O educador mostra a missão e o monitor (educador auxiliar) da classe dá o sinal. Dado este sinal, os capitães tem que encontrar a missão. Quem encontrar primeiro ganha 1 ponto para o seu exército. Os soldados de cada time ajudam o seu capitão. Ganha o time que tiver mais pontos. Missão pode ser: Nome de um personagem bíblico – tem que mostrar o nome do personagem escrito na Bíblia. Versículo – Fale ou mostre o versículo escrito e eles vão encontrar a referência bíblica do versículo. Ou ao contrário, fale a referência bíblica e eles terão que encontrar e falar o versículo achado na Bíblia. Sinal pode ser: Um apito; Acenar uma bandeira com a missão escrita; O tocar das trombetas Para tirar melhor proveito deste jogo, escolha os versículos ou nomes dentro do tema da sua aula, aproveitando para revisar a matéria dada. Você educador, pode variar esse jogo de diversas maneiras, deixe sua imaginação fluir e com certeza seus alunos pedirão para repetir a dose em outras aulas. Boa diversão com sua turma e que Deus os abençoe!

Dinâmica do Cordão: Teia de Relacionamentos

Queridos amigos educadores cristãos, Não poderia deixar de compartilhar com vocês, esta dinâmica! Aprendi esta dinâmica com minha amiga TatyLu, numa das nossas reuniões do Forum Gospel na minha casa, quando minha casa era o QG Oficial do Forum Gospel. Wow, pois é pessoal, eu tive essa honra de sediar essa turminha. Turma sensacional, formada por pessoas maravilhosas, todas membros ativos do Forum Gospel – São Paulo, líderes de ministérios, músicos, cantores, que marcaram minha vida e de muitos. Apliquem esta dinâmica primeiro com sua equipe, numa reunião de líderes e depois, os orientem a aplicarem também com seu grupo: crianças, adolescentes, melhor idade, casais, etc. Taty, não pedi sua permissão, mas estou publicando um e-mail antigo que você me mandou (com algumas pequenas adaptações)…: “e-mail da TatyLu – datado de 29/03/2005″ Bem, a dinâmica do cordão é a seguinte: Forme uma roda com sua turma, todos em pé. O coordenador não participa da roda. Uma pessoa inicia a brincadeira segurando uma ponta do barbante/cordão e jogando o rolo do cordão para alguém que tenha muita afinidade e fala “uma qualidade/característica marcante da pessoa”, após isso, fala também “o nome de uma flor” que gosta, para todos ouvirem. A pessoa que recebe faz a mesma coisa: segura a parte recebida do cordão e joga o rolo do cordão para alguém que tenha afinidade, fala uma qualidade da pessoa e o nome de uma flor que gosta, essa pessoa também passa o cordão para outra, e assim vai, sucessivamente até todos participarem. Quando todos tiverem participado, terá formado uma grande teia com o cordão. (aproveite para tirar uma foto e mandar para nós). Quando todos tiverem recebido o cordão, a pessoa que está coordenando a brincadeira vai explicar sobre a ligação que todos temos uns com os outros e essa ligação forma uma teia de relacionamentos. Explique também a importância de ressaltar a qualidade nos nossos amigos que muitas vezes não temos oportunidade de expressar no nosso dia-a-dia. Depois dessa explicação, o coordenador(a) pede para que se faça a segunda parte da dinâmica: A última pessoa que recebeu o cordão tem que devolvê-lo e dizer o nome da flor preferida que o amigo disse. Todos tem que repetir o procedimento, até que chegue em quem iniciou a brincadeira. A explicação que seguirá ao término da dinâmica é que precisamos prestar atenção e dar atenção ao que as pessoas falam para nós. Algo tão simples como o nome de uma flor não conseguimos guardar, porque nos deixamos nos distrair por tantas outras coisas. As pessoas precisam de atenção e de ser ouvidas. Isso é muitas vezes mais importante do que falar. (Ps. Dani, realmente os cristãos faaalaaaaaaaaaaaaaaaaammmmm muito – me incluo nessa – sabem tudo, leêm tudo, tem uma bagagem enorme de conhecimento, mas isso não vale nada se a vontade do Pai não é feita. As vezes as pessoas não escutam o que nós falamos pois nossas ações estão falando mais alto…) Materiais utilizados: Rolo de Barbante ou um Novelo de Lã Versículos relacionados: Provérbios 17:17; Provérbios 27: 9-10 Muitas bênçãos do Papai do Céu para vocês! Caso queira publicar, abençoar outros ministérios com suas idéias, entre em contato: contato@mininfantil.com

GRANDE TÃO GRANDE

Olá pessoal, É muito importante, para nós líderes, ensinar sobre os grandes personagens bíblicos, ensinar o evangelho e também a memorizar os versículos bíblicos. Também é muito importante falar e dar testemunhos sobre fé, que devemos guardá-la até o fim! Nós líderes, sabemos várias metodologias sobre isso, mas tudo isso será em vão se não colocarmos em prioridade: fazer com que as crianças sintam-se amadas por Deus! Que tarefa difícil! Aprender o ABCD cristão, decorar os nomes dos personagens famosos bíblicos, memorizar alguns versículos, seguir os mandamentos, não nos faz de nós cristãos. O que faz de nós cristãos é ter a certeza do amor, do perdão e da graça de Deus em nossas vidas, é ter um relacionamento com Deus, uma intimidade com o Espírito Santo e ter Jesus como nosso amigo, como um verdadeiro amigo, que você pode contar e desabafar. O nosso principal desafio é esse: através do nosso exemplo, do nosso testemunho, da nossa confiança no amor que Deus tem por nós, fazer com que nossas crianças se sintam amadas por Deus e que confiem nesse Grande Amor! Por favor, líderes, ministros do rebanho de ovelhinhas, não cansem de repetir que Deus os ama muito, lembrem-se de falar isso em cada encontro, isso é muito importante! O amor faz a confiança, o amor desenvolve a fé, o amor nos dá esperança, o amor nos impulsiona, o amor nos faz nos sentirmos invencíveis, o amor nos acalma, nos dá a paz interior (mesmo no meio da tormenta), o amor faz com que nos esforcemos para transformar os nossos defeitos em qualidades, nos faz sorrir, nos faz contagiar, ou seja multiplicar. O amor é a essência cristã, é o nosso combustível, é a nossa ligação com Deus e a nossa responsabilidade como ministros do evangelho. Porque temos tantos lares desfeitos, tantos adolescentes marginalizados, tantos vícios e suicídios? Sim, por falta de amor! Por falta de se sentirem amados! Como estou morando agora em Quebec, aluguei um filme para praticar meu francês, porque gostei do nome, na verdade não sabia sobre o que se tratava o filme. O nome do filme é “Tout est parfait”. Esse filme relata a história de quatro adolescentes que se suicidam. Mesmo se tratando de uma história fictícia, através desse filme, Deus me inspirou a escrever este post pois infelizmente, isso se passa dentro de muitos lares ao redor do mundo, muitos lares que não vivenciaram o amor de Deus. Pessoas que não se sentem amadas, não sabem que suas vidas foram criadas por um Deus de amor e que esse Deus tem um propósito para cada um de nós, infelizmente, são alvos fáceis para a depressão, para as drogas e para o suicídio. Desculpa, sei que são palavras fortes, mas nós, podemos iluminar muitos caminhos com a Luz de Cristo que brilha em nossas vidas e como líderes cristãos temos como maior responsabilidade, através do amor que recebemos e vivenciamos, ensinar cada vida preciosa que Deus nos responsabilizou a se sentirem amadas, valorizadas e abençoadas! Isso vale muito mais que um versículo memorizado, pois será um versículo vivenciado, a verdadeira Palavra Viva! Sinta o amor de Deus e transmita esse amor. Líderes não cansem de repetir quão grande é o amor de Deus por nós, over and over and over again! Nunca é demais! Alguns versículos relacionados: João 3.16 – Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Salmo 109.21 – Mas tu, ó Deus, meu Senhor age em meu favor por amor do teu nome; pois que é boa a tua benignidade, livra-me; Sofonias 3.17 – O Senhor, o seu Deus, está em seu meio, poderoso para salvar. Ele se regozijará em você, com o seu amor a renovará, ele se regozijará em você com brados de alegria”. 2 Tessalonicenses 3.5 – Ora, o Senhor encaminhe os vossos corações no amor de Deus e na constância de Cristo. I João 3.1 – Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele.

ALONGAMENTO E DISPOSIÇÃO

Que tal preparar a turminha antes de começar o culto infantil?
As crianças as vezes chegam envergonhadas, tímidas ou mesmo o oposto: muito agitadas! Uma idéia, quesempre dá certo e pode ser aplicada em cada encontro: Escola Dominical, Culto Infantil ou Atividades ao Ar Livre é o alongamento! Alongamento é sempre bom, saudável, não tem contra-indicações, é bom para qualquer idade e são muitos os benefícios, alguns deles são: ativa a circulação, melhora a postura, acalma e ajuda a concentração. Comece a reunião com um grande e caloroso alongamento, é fácil e divertido! Cada criança tem que ter espaço suficiente, no mínimo do tamanho de seu braço, por todos os lados. Peça as crianças para abrirem os seus braços e girarem 360°, só uma vez, só para terem certeza que elas tem espaço suficiente cada uma. (Só faça isso se o espaço for pequeno); Não esqueça de instruir as crianças a não forçarem, pois alongamento é para relaxar e não para sentir dor! Agora que todos estão posicionados, vamos lá! As frases em verde é a que o professor/educador/líder deve falar e as crianças devem repetir: Vocês sabem quão grande é o amor de Deus por nós? O amor de Deus é tão grande, mas tão grande, tão grande (enquanto fala, vai esticando os braços devagarinho e continua repetindo: tão grande, tão grande… até estar com os braços bem esticados para os lados); O amor de Deus é tão grande, que me cerca pela direita (alongue seus braços para a direita até onde puder); Que me cerca pela esquerda (alongue seus braços para a esquerda); Que me cerca pela frente (com as mãos entrelaçadas, estique seus braços para a frente); Que me cerca por trás (agora faça o mesmo, esticando os braços para trás); Que me cerca por baixo (faça até onde puder, sem dobrar os joelhos: o lance é alongar! Prepare-se pois as crianças podem fazer melhor que os professores esse aqui!!!); e que me cerca para cima (estique o máximo que puder, e vale ficar na ponta dos pés também); Ahhh, o amor de Deus é tão grande, mas tão grande, que me cerca por todos os lados! (dê um giro de 360°); Repita esse exercício quantas vezes quiser, é sempre bom fazer alongamentos e é sempre bom lembrar quão grande é o amor de Deus! Agora a sua turminha já está bem preparada, disposta para prestar atenção, ser abençoada com a ministração e cheia de energia para todas as atividades! “1 Tessalonicenses 5:23 Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”

A História da Páscoa (The Easter Story) - Igreja Luterana, Comunidade do...

CADA UM É ÚNICO

Deus fez cada um de uma maneira muito especial! Cada um de nós no nosso próprio jeitinho! Cada detalhe, um toque de amor!twins girls Hoje me lembrei de uma dinâmica que fiz, já faz um tempão, mas ficou na memória e sei que você pode aplicá-la no seu grupo e abençoar muitas vidas… vamos a dinâmica, se é que podemos chamá-la assim… Bem, vocês irão precisar de: dois gêmeos idênticos! Sim, vocês leram muito bem: dois gêmeos idênticos!Mas pode ser também: duas gêmeas idênticas! dois voluntarios que serão os secretários(as) 4 cadeiras 2 cadernos ou blocos de anotações Caso você não tenha gêmeos idênticos em sua turma, convide os(as) gêmeos(as) que você conhece antes, tenho certeza que irão amar o convite! Convide-os mesmo se não forem cristãos, esta aí uma ótima oportunidade para semear a Palavra! Comece sua aula como pede o currículo de sua igreja, orando, com louvores, etc. O importante é que os(as) gêmeos(as) deverão participar em todo o tempo com você (não importa a idade deles, podem ser adultos, crianças ou adolescentes, mas tem que ter no mínimo uns 10 anos de idade e saber ler). Sempre lembre suas crianças a importância de trazer a Bíblia para igreja, convide suas crianças para abrirem suas Bíblias e pede para um dos gêmeos lerem o primeiro versículo e depois pedem para dois outros volutários lerem os versículos restantes: E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (Gênesis 1:26-27). Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras. Servi ao SENHOR com alegria; e entrai diante dele com canto. Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto. (Salmo 100:1-3) Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia. E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles! (Salmo 139:13-17). Nota: pede para somente 1 dos gêmeos ler só 1 versículo, mas pede de uma forma natural, não dê ênfase pelo o fato dele(a) ser gêmeo ou não fazer parte de sua turma. Comece explicando os versículos e diga que Deus fez todos de uma forma única, ninguém é igual a ninguém, diga: Olhe para seus amigos, tem alguém igual à você? Responda você mesmo: Claro que não, ninguém é igual a você! Ninguém tem o mesmo cabelo que você! Pode ser até parecido, mas não é igual! Continua fazendo comentários, até alguma criança dizer: mas eles(as) são idênticos(as)! Eles(as) são gêmeos(as)! Agora sim, vamos começar a dinâmica: Importante: se suas crianças já estão familiarizadas com os gêmeos de sua dinâmica, será possível que eles saibam identificar quem é quem dos gêmeos! Se for esse o caso, peça para os gêmeos trocarem alguma peça de roupa de forma a confundir as crianças… mas o ideal é que eles estejam com roupas idênticas. Então, quando elas voltarem com roupas já trocadas, coloque as cadeiras na frente para elas se sentarem e comece a entrevista: Você ministro será o entrevistador. Convide os secretários voluntários para anotarem as respostas, cada um será responsável por 1 só gêmeo. Primeiro apresente os gêmeos ao grupo, comece fazendo perguntas para os(as) dois(duas) juntos(as): quem nasceu primeiro e como foi; o que eles costumam fazer juntos; o que eles mais gostam no fato de serem gêmeos; o que não gostam no fato de serem gêmeos; … E então, peça aos seus secretários para se posicionarem e começarem a anotarem as respostas, pois você, que será o entrevistador irá fazer as perguntas pessoais para cada um separadamente: Qual sua cor preferida? Qual seu prato preferido? Conte uma coisa engraçada que aconteceu com você! Diga uma coisa que te irrita. Qual fruta que você não gosta de comer? Quanto você pesa? Você tem alguma cicatriz? Onde? Porque? … Agora, peça para seus secretários (1 de cada vez) dizer o que eles tem de diferente um do outro. Lembre sua turminha que somos todos únicos, não somente diante do Criador, sim, porque o nosso Criador nos fez de maneira especial, então, isso significa que existe somente uma pessoa com nossa história, com nossas influências, com nosso gosto, com nossos pensamentos… Deus tem realmente uma criatividade infinita! Nem tem mesmo uma árvore igual a outra árvore, pergunte para as crianças se alguma delas tem cachorro ou gato. E pergunte: Se eu pegar seu cachorro (ou gato) e colocá-lo no meio de vários cachorros (ou gatos) da mesma raça e cor, você não iria reconhecer seu cachorro (ou gato)? Claro que sim! Deus nos conhece pelo nosso nome, Deus conhece até as estrelas pelo nome. (Salmo 147:4) Hora do vídeo: MODA AMARELA – DVD do Smilinguido identical dogs Compartilhando minha experiência: Lembro que fiz essa dinâmica com minhas gêmeas na época: Pamela e Paloma, isso foi na Assembléia de Deus da Vila Talarico já faz um tempão…E lembro que as fiz trocarem de roupas para confundir as crianças do grupo… ai no final do culto, quando a mãe delas veio as buscar foi a primeira pergunta que ela fez: porque vocês trocaram de roupas??? Foi muito engraçado, pois eu tinha muita dificuldade de saber quem era quem, mas mãe é mãe né? lol Espero que gostem da dinâmica, façam e depois compartilhe com a gente! Caso tenha fotos de seus gêmeos na dinâmica, mande para o contato@mininfantil.com e teremos o prazer em postar para vocês! Deus abençoe vocês! Até a próxima!